UPA deve realizar 10.500 atendimentos no mês de setembro

A capacidade de atendimento chega a 350 por dia

Após quatro anos de espera, foi inaugurada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pastor José da Silva Neto. A estrutura fica localizada no bairro Renascença e vai prestar atendimento a comunidades da zona Sudeste da capital. A expectativa é que a unidade realize 10.500 atendimentos somente no mês de setembro.

Mas por enquanto, as coisas estão bem tranquilas na unidade. É que embora a UPA tenha capacidade para 350 atendimentos diários, o número médio até agora é de 153. Quem conta é a diretora Luciana Silveira. “A UPA é uma estrutura completamente diferente. Todo mundo aqui será atendido como em um hospital normal, a diferença é que vamos dar prioridade aos casos de urgência”, explica. Luciana destaca que as pessoas estão se acostumando com a UPA de porte III, inédita em Teresina.

“As pessoas estão demorando um pouco a fixar o que realmente vai ser feito aqui: a UPA funciona como um elo entre a atenção básica e os hospitais de urgência. Daremos os encaminhamentos necessários de acordo com as demandas”, esclarece a diretora.

As prioridades atendem a um sistema de cores. “Temos um protocolo que analisa a gravidade. Por exemplo, um paciente está com uma dor de cabeça ou com a glicemia e a pressão alteradas, não demandam tanta urgência como em casos de acidentes automobilísticos. Já tivemos dois casos de acidentes em que os pacientes já foram encaminhados e operados”, afirma. Para ela, será um grande ganho para hospitais como o Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

População aprova atendimento

A UPA do Renascença está com filas bem tranquilas. No momento em que a reportagem do Jornal Meio Norte visitou as instalações, havia 10 pessoas esperando encaminhamentos hospitalares, que são definidos de acordo com a cor da pulseira.

A exemplo de Leila Maria, de 37 anos, que estava com a pulseira laranja em razão de uma contusão no pulso. “O atendimento foi rápido, graças a Deus foi tudo bem. Na mesma hora eles atenderam. Tive uma fratura no pulso, por isso recebi a pulseira laranja. Agora aguardo pelo médico ortopedista, que vai ver o que tive e me mandar para o raio X”, conta a jovem senhora.

Sistema de cores - Helenice Camboim, diretora de enfermagem da UPA, explica como funciona o sistema de cores. “Os pacientes são divididos de acordo com a gravidade do atendimento, e recebem pulseiras nas cores vermelha, laranja, amarela, verde e azul. A vermelha é muito urgente, a laranja é quando há o risco de perder um órgão ou membro, a amarela é quando a situação pode se agravar e as verdes e azuis são de acordo com os sinais vitais”, explica. Mas Helenice garante que a UPA não deixará de atender ninguém. “A UPA não volta paciente nenhum para casa.

Mas os casos em que a pulseira é azul ou verde vão esperar mais que os casos de pulseiras vermelha e/ou laranja”, finaliza.

Fonte: Virgínia Santos e Lucrécio Arrais