Vigilante da UFPI defende o Doutorado na UFRN

Raimundo José de Castro, vigilante da UFPI desde 1992, defendeu sua tese no Rio Grande do Norte

A política de ensino, pesquisa e extensão da Universidade Federal do Piauí, vem fazendo com que a UFPI cresça cada vez mais nos últimos anos, esse crescimento só acontece por conta do esforço de professores, servidores e alunos. O incentivo da UFPI é, muitas vezes, o ponto de partida de grandes histórias de superação em busca da qualificação. Um caso que retrata bem essa realidade é a história do servidor Raimundo José Castro, vigilante da UFPI desde 1992, quando ingressou através de concurso público e que agora, 18 anos depois, defendeu a sua tese de doutorado, na UFRN.

Após o seu ingresso na UFPI como servidor, Raimundo Castro foi aprovado no vestibular para o curso de Matemática, em 1993, tendo concluído o curso em 1998. Para Raimundo, o fato de ele ser servidor, facilitou a sua jornada acadêmica, "a lei ampara o servidor que quer se qualificar. Eu era dispensado nos horários das aulas, durante a graduação e na especialização. Mas posteriormente eu repunha o horário". Após a conclusão da graduação, Raimundo ingressou na especialização em matemática da UFPI e dava aulas nos seus horários de folga. "Na época eu cheguei a dar aulas em cursinhos e colégios particulares, mas hoje sou dedicação exclusiva da UFPI".

Com o título de especialista em Matemática, muita gente já se daria por satisfeito, mas Raimundo Castro queria se qualificar ainda mais. Em 2006, a UFPI em convênio com o IFPI e a UFRN ofertou vagas para cursos de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais. "O meu Mestrado foi feito através do MINTER, mas durante o mestrado eu não me afastei das minhas funções. No IFPI eu peguei os créditos e no SENAI-PI fiz algumas disciplinas da parte experimental. O restante foi concluído na UFRN. Nesse processo a UFPI me apoiou com passagens e com diárias", disse.

Raimundo Castro concluiu o Mestrado em maio de 2008 e em junho já estava cursando o Doutorado. "Assim que eu terminei o Mestrado, fiz a seleção pro Doutorado e obtive êxito. No Doutorado eu era aluno regular da UFRN, então durante esse período eu estive afastado da UFPI, em licença remunerada". Como Raimundo foi aluno do Mestrado na UFRN e já tinha concluído grande parte dos créditos necessários para o Doutorado, o seu curso durou apenas 2 anos e meio e a defesa de sua tese, intitulada Estudo de formulações para produção de revestimento de base argilosa vermelha com feldspato e/ou resíduo de caulim, aconteceu na última terça-feira (16) no Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET/UFRN), em Natal, Rio Grande do Norte.

Sobre a sua tese, Raimundo Castro explica que ela contribuirá para o desenvolvimento de cerâmicas de revestimento a um custo mais baixo, além de ajudar na questão ambiental, principalmente do Piauí, pois ele trabalhou com matérias primas oriundas do Estado. "No meu estudo nós trabalhamos a produção de cerâmica de revestimento, fazendo a substituição de material com valor agregado (feldspato), por material oriundo da cadeia produtiva do caulim (argila de queima clara), que é utilizado na produção de revestimento de base branca (porcelanato). Esse resíduo vem gerando problemas de ordem ambiental, em função do grande volume produzido durante a cadeia produtiva do caulim. Quando ele é descartado de forma inadequada, traz impacto ambiental negativo. Ele geralmente é lançado à beira de estradas e margens de rios. Do ponto de vista da saúde pública ele também é prejudicial, pois seu pó, muito fino, pode trazer danos à saúde, quando é inalado".

Raimundo afirma que os resultados dos estudos de substituição do feldspato, pelo resíduo do caulim na produção de cerâmica, foram favoráveis, tanto do ponto de vista econômico, quanto ambiental e que agora "a utilização do resíduo do caulim na produção vai depender do interesse das empresas fabricantes de revestimento cerâmico".

Os planos futuros de Raimundo Castro são bem claros, "o meu objetivo agora é somar mais títulos e tentar um concurso para o sistema federal de ensino, mas é claro que seria ótimo poder contribuir com o desenvolvimento da pesquisa aqui mesmo na UFPI". Durante os 2 anos e meio em que Raimundo esteve afastado para a conclusão do Doutorado, a UFPI não parou de crescer e ele destaca essas mudanças como de grande importância para todos, "fico feliz em ver o crescimento da UFPI. A Universidade tem uma outra cara, em todos os aspectos. Tanto no aspecto físico quanto nos seus pilares básicos, ensino, pesquisa e extensão. A UFPI está crescendo intelectualmente, com o investimento na qualificação de professores, servidores e alunos", ressaltou.

Raimundo elenca como de fundamental importância durante o seu processo de qualificação, o apoio da sua família, em especial os seus pais e se emociona ao lembrar-se de seu pai, que faleceu durante seu período de afastamento para o Doutorado. Ele enfatiza também que a UFPI sempre lhe deu um apoio muito grande e que por isso ele é muito grato, em especial ao Reitor Luiz de Sousa Santos Júnior. "O sistema de incentivo à qualificação da UFPI foi muito importante para mim, mas além do apoio da Universidade, a minha vontade de evoluir era o meu maior incentivador. Espero que outros servidores aproveitem as oportunidades assim como eu aproveitei e se qualifiquem também", finaliza Raimundo José Castro.

Fonte: UFPI