Vivemos a era dos escândalos movida por eleições, diz Regina Sousa

A senadora fez ainda um alerta para um tema polêmico

Em visita à macrorregião de Esperantina, a senadora Regina Sousa (PT-PI) conservou com liderancas políticas locais sobre as principais mudancas nas eleições municipais deste ano. "Doações empresariais e superfaturamento são registros antigos nas eleições brasileiras. Era a prática política vigente no país mas somente o PT tem sido criminalizado por tal", observou.

A aprovação pelo Supremo da proibição de doações empresariais na eleição desde ano é a grande novidade, além do limite de gastos com base no que foi declarado ao Tribunal Superior Eleitoral na última eleição. Para cidades com até 10 mil habitantes o limite pré-definido é de R$ 100 mil para prefeito e R$ 10 mil para vereador.

A exigência do mínimo de 10% do quociente eleitoral se eleger e o percentual de candidaturas de mulheres também devem ser observados no pleito deste ano. "A lei mudou muito. Tudo vai ser interpelado em 48 horas, não tem mais cavalete, não pode haver carro todo envelopado, até o tamanho do santinho é definido na legislação", observa a senadora.

A senadora fez ainda um alerta para um tema polêmico e que precisa de toda a atenção da sociedade: a violência contra a mulher. Ela repercutiu a denúncia formalizada pela modelo Luiza Brunett, que teve quatro costelas fraturadas pelo marido, e pediu que todos abracem a causa e denunciem em seus municípios qualquer forma de violência contra a mulher.

Regina está deste ontem na região. Visitou os municípios de Esperantina, Madeiro e Joca Marques, finalizando a agenda neste sábado em Joaquim Pires. "Vivemos a era dos escândalos movida por uma questão eleitoral. O povo deve ficar alerta", declarou.


Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações da Ascom