Vizinhos da igreja Renascer encontram escombros dentro da própria casa em SP

Os moradores só puderam ficar alguns minutos no local, acompanhados por equipes da Defesa Civil

Os moradores dos imóveis interditados após o desabamento do teto da Igreja Renascer em Cristo no Cambuci, Zona Sul de São Paulo, encontraram pedaços dos escombros dentro de suas casas. Eles puderam voltar a suas residências pela primeira vez após o acidente nesta segunda-feira (26).

Os moradores só puderam ficar alguns minutos no local, acompanhados por equipes da Defesa Civil. Eles puderam ver os estragos que o desabamento causou nos arredores.

A demolição do que sobrou da igreja começou no sábado (24) e deve durar mais dez dias. Segundo os peritos, não há mais riscos de um novo desabamento.

De acordo com o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo (Crea), faltou manutenção no telhado do templo. O superintendente do Crea visitou os escombros e disse que encontrou madeira podre, com cupim.

Nesta segunda, cinco testemunhas prestaram depoimento. Ao todo, a polícia já ouviu 40 pessoas no inquérito que apura as causas do acidente.

Justiça

O Ministério Público (MP) divulgou na noite desta segunda nota à imprensa afirmando que irá propor medidas judiciais cabíveis contra a Renascer, em decorrência de um culto realizado no domingo (25) no Club Homs, na capital paulista.

Segundo o MP, o clube não tem alvará de funcionamento e a Igreja Renascer teria descumprido acordo firmado com o próprio MP na última terça-feira, em que se comprometia a não realizar cultos em locais improvisados.

A assessoria da igreja informou que a Renascer tinha alvará para realizar o culto e, desde 2005, o Club Homs tem permissão de funcionamento concedida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Ainda segundo a igreja, o acordo firmado entre a Renascer e o MP previa a não realização de cultos "só nas proximidades do local do acidente".

Fonte: g1, www.g1.com.br