Wellington Dias garante novo hospital e curso de Medicina em Picos

O governador ressaltou o empenho no cumprimento das diretrizes

O encontro realizado pelo Executivo com os prefeitos municipais da região de Picos na manhã desta sexta-feira (02) rendeu boas perspectivas para a saúde piauiense, no que se refere a obras e a ampliação na oferta do curso de Medicina no Estado. Em mensagem encaminhada aos gestores durante o evento, o governador Wellington Dias (PT) indicou para o esforço que fará junto ao Ministério da Saúde (MS) na conclusão do novo Hospital de Picos, abarcando ainda a implantação do curso de Medicina na região através da Universidade Federa do Piauí (UFPI).

A notícia foi bem recebida pelos representantes, que constataram os benefícios que a nova unidade e a atenção à formação na área trarão à comunidade. O governador ressaltou o empenho da gestão no cumprimento de todas as diretrizes exigidas pelo Governo Federal para a liberação dos recursos. “O esforço é para que a gente tenha a garantia não só do curso de medicina, mas de outras áreas entre elas, Oncologia. Nós vamos ter que cumprir determinadas exigências do Ministério, para também estudos na área cardiológica, neurológica para Picos e região”, explicou.

De acordo com Dias, a construção do novo Hospital está bem encaminhada e agora a gestão estadual toma as últimas providências para a concretização do projeto. “Vamos trabalhar em 2016 para ter a construção do Hospital de Picos nessa parceria com o Ministério da Saúde, nós estamos tomando as últimas providências para que a gente possa começar essa obra e garantir a sua conclusão. Tivemos que redimensionar a obra, adequando a uma exigência do Ministério da Saúde, temos a garantia dos recursos e, se Deus quiser, vamos fazer”, indicou.

Quanto ao modelo de OS no Hospital Justino Luz, o governador tranquilizou os pacientes que são atendidos no local.

“É uma empresa realmente responsável, que tem experiência, é um contrato anualizado, a cada momento vamos fazer a avaliação de meta e se não cumprir podemos rescindir, os direitos dos servidores não serão alterados, não haverá nenhuma cobrança ao usuário, é 100% SUS”, finalizou.

Fonte: Francy Teixeira