Timon: Zé Pereira espera 120 mil foliões por dia

Timon: Zé Pereira espera 120 mil foliões por dia

O Zé Pereira acontece nos dias 26 e 27 com a participação de três blocos oficiai

Os preparativos para folia do Zé Pereira em Timon já começou. A partir desta semana, a avenida Piauí está sendo montada para receber aproximadamente 120 mil foliões por dia. O evento acontece há 11 anos e já foi incorporado pela comunidade como uma característica do carnaval do município.

Mas não são apenas os timonenses que aproveitam essa folia. Segundo Glauciane Correia, presidente da Fundação Cultural do município, muitas pessoas de Teresina e outras cidades vizinhas aproveitam o Zé Pereira de Timon como uma prévia para o carnaval. ?Vem gente de José de Freitas, Caxias e toda essa região Meio Norte?, afirma Glauciane.

E para que a festa seja realmente animada, se faz necessário realizar alguns ajustes. Por isso, nesta quinta, aconteceu uma reunião com as polícias civil e militar, vigilância sanitária, barraqueiros e conselho tutelar. A avenida Piauí, por onde vão passar os trios elétricos, está sendo devidamente iluminada e capinada. Já no início da próxima semana começa a operação tapa-buraco.

O Zé Pereira acontece nos dias 26 e 27 com a participação de três blocos oficiais, entre eles o Blackout, que estréia no evento com as bandas Parangolé e Black Stile. De acordo com Mário Junior, diretor do bloco, o grande diferencial é a vinda de atrações inéditas para o município de Timon.

Outra novidade para o folião que optar pelo bloco Blackout é o sistema de segurança para o caso de perda, extravio ou roubo do vale abadá. ?Se acontecer algum problema a pessoa pode vir até a sede do bloco, cancelar o vale abadá perdido e fazer um novo. Teremos um banco de dados com a impressão digital e fotos de todos os nossos foliões?, garante Mário Junior.



Folia também contribui para geração de emprego e renda

Enquanto milhares de pessoas de divertem, outras tantas ganham dinheiro. E essa é uma das maiores contribuições do Zé Pereira para o município de Timon. Este ano, 200 barraqueiros já foram inscritos pela prefeitura. O número é maior que em 2010, quando 120 pessoas se inscreveram.

Contudo, de acordo com Glauciane Correia, a quantidade de pessoas que ganham dinheiro nos dois dias da festa é bem superior. ?Quando chega da sexta-feira aparece gente de todo lugar montando suas barracas?, destaca a presidente da Fundação Cultural.

Geórgia Maria Gomes, por exemplo, sai todos os anos de Teresina para vender bebida no Zé Pereira. ?Eu sei que lá é onde a coisa funciona. Não ganho tanto dinheiro se ficar em alguma festa daqui?, ressalta Geórgia Maria.

Ela já começa a juntar dinheiro desde julho para investir na compra da mercadoria. ?Quanto mais compra, mais vende. O investimento vale a pena porque a festa dá muito lucro?, disse a mulher. Este ano, Geórgia espera ganhar até R$ 3 mil. Segundo ela, o dinheiro será usado na compra de um Playstation. ?Eu vou realizar o sonho do filho?, completa a barraqueira.

O comércio também lucra bastante na época do Zé Pereira. O aumento nas vendas é notável para lojas de confecção, que já preparam o estoque para atender todos os clientes. De acordo com a gerente Lucília Parente, camisetas, bermudas e shorts são as mercadoria mais procuradas. ?O aumento chega a 20%?, afirma Lucília.

É importante destaca também que vários empregos temporários são gerados. No bloco Blackout, serão mais de 400 pessoas trabalhando diretamente para o evento. De acordo com Mario Junior serão contratados, apenas para a fazer a segurança nos dias do Zé Pereira, entre 100 e 150 pessoas.







FOTOS: MOISÉS SABA

Fonte: Nayara Felizardo