Zona Sul de Teresina se torna espaço de lazer à população

A ideia é urbanizar o espaço que existe na chamada Ponte Nova, que liga Teresina a Timon, pelo bairro Tabuleta

O terreno que fica sob a Ponte Presidente Médici, que liga Teresina a Timon, será urbanizado e transformado em um espaço de lazer para a população dessa região da cidade. O projeto já foi elaborado e as obras devem iniciar ainda este semestre.

Após construído, o local se transformará na Praça do Migrante, que oferecerá desde espaço para atividades físicas até espaço de compras para a população.

Será construído no local uma área arborizada, com quiosques, espaço para atividades físicas e culturais e ainda boxes, onde microempreendedores da região poderão comercializar seus produtos.

Segundo o superintendente executivo da Superintendência de Desenvolvimento Urbano, Paulo Roberto Nonato, já está sendo realizado o orçamento da obra, que deverá ser finalizado em fevereiro.

"Não tenho uma data precisa de início da obra, pois vai depender do prefeito Firmino Filho. Depois de elaborado, o orçamento será levado para ele analisar", disse.

Local sofre abandono

O objetivo da obra é urbanizar o local, que hoje encontra-se abandonado e ponto de prostituição, segundo afirmam moradores da região. "Desde 2006 que nós corremos atrás da urbanização desse local e agora finalmente vai ser feito um espaço legal para a população.

Após finalizadas as obras, segundo o projeto, esse será um espaço muito agradável para todos os teresinenses, onde as pessoas poderão passar um final de tarde, batendo papo com os amigos", disse o líder comunitário da zona Sul, Ascânio Sávio.

Além de urbanizar o local e oferecer um espaço de lazer para a população, após concluídas as obras, os microempreendedores da região terão um espaço para comercializar seus produtos.

Cerca de 20 boxes serão construídos no local. "Serão comercializadas roupas, bijuterias e mais pratos da culinária local. A zona Sul precisava de um espaço como esse. Assim como a zona Norte possui o Lagoas do Norte, nós teremos a Praça do Migrante", afirmou Ascânio.

Segundo o líder comunitário, uma das reivindicações que será levada à SDU Sul é que no local haja um espaço para comercialização da cerâmica produzida no Polo Cerâmico do Poty Velho, para que a população da zona Sul tenha acesso com mais facilidade ao que é produzido no local.

Fonte: Pollyana Carvalho