Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Acesse a versão para celular
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Mulher transexual é morta com tiros na cabeça e no peito no Rio

O corpo será enterrado na tarde deste sábado

Mulher transexual é morta com tiros na cabeça e no peito no Rio
Mulher | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

A morte de Samily Guimarães, de 22 anos, é investigada pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). A jovem levou dois tiros na cabeça e um no peito na Avenida Atlântica, no bairro Recantus, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, na madrugada de sexta-feira. Nenhum pertence da vítima, uma mulher transexual, foi levado. Ela teria sido atingida por ocupantes de um carro que dispararam tiros quando Samily caminhava pelo local. O corpo será enterrado na tarde deste sábado (22).

O delegado titular da Divisão de Homicídio da Baixada Fluminense, Giniton Lages, receberá representantes do programa Rio sem Homofobia na segunda ou terça-feira para discutir a morte de Samily e outros crimes que tiveram pessoas LGBTI (Lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais) como vítimas. Neno Ferreira, subcoordenador de diversidade sexual Rio Sem Homofobia, explica que casos parecidos têm acontecido na Baixada.

Segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), 44 travestis e transexuais foram assassinadas por intolerância no Brasil em 2017.

Como Samily era uma mulher transexual, amigos suspeitam que ela tenha sido vítima de transfobia. Muito emocionado, Carlos Henrique lamentou a morte da amiga:

— A gente não sabe o que aconteceu. Alguns dizem que foi assalto, outros já pensam em outro tipo de violência. Nesse mundo violento, a gente não duvida de nada. As pessoas tiram a vida de outras por motivos banais. Era uma pessoa que nunca fez nada contra ninguém. Ela ia fazer unha comigo ontem. Um outro amigo foi morto no mesmo lugar. Minha mãe não quer nem que eu saia de casa.

Nas redes sociais, a vítima recebeu diversas homenagens de amigos. “Não dá para acreditar” e “Coração em mil pedaços”, escreveram duas amigas. Outra mensagem destaca a violência: “Ninguém tem direito de tirar a vida do próximo”.

Image title

Image title

Image title


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto