Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Acesse a versão para celular

Síndico diz que achou vídeo de agressão ao checar outro problema

As agressões foram filmadas no último sábado em Valparaíso de Goiás

Síndico diz que achou vídeo de agressão ao checar outro problema
ddd | ddd
Compartilhe
Google Whatsapp

O síndico do prédio em que um homem foi flagrado dando socos e tapas em uma mulher dentro do elevador disse, nesta quarta-feira (2), que descobriu o vídeo da agressão ao checar outro problema no condomínio, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Paulo afirmou que o casal se mudou há pouco tempo para o local e não foi mais visto após o fato.

“Um equipamento nosso foi danificado, um ‘shaft’, uma porta de onde ficam os registros, isso dentro de um bloco, na área comum. A gente solicitou as imagens para a empresa que fornece para a gente e, dois dias depois, a gente viu estas imagens da mulher sendo agredida dentro do elevador e ficamos muito assustados. No dia da agressão, alguns vizinhos ouviram a discussão, mas ninguém tinha visto nada. Os dois são novos aqui”

“A gente só descobriu por causa deste problema”, destacou o síndico.



As agressões foram filmadas no último sábado (29), em um condomínio que fica no Parque das Cachoeiras, em Valparaíso de Goiás. Conforme apurou a TV Anhanguera, o casal se mudou para o prédio há pouco tempo e que poucos vizinhos têm informações sobre os dois.

A gravação mostra o homem dentro do elevador, com uma lata na mão. Em seguida a porta se abre e, quando a mulher começa a entrar, ele avança nos cabelos dela e a puxa, jogando contra a parede do elevador, que tem a proteção danificada.

Ele desfere vários socos e tapas contra ela, joga cerveja no rosto dela e esfrega a lata na vítima.


A mulher contou à Polícia Civil que o homem é seu marido, com quem está junto há 13 anos. Em depoimento nesta quarta-feira (2), ela, que é dona de casa e tem 31 anos, diz que foi a primeira vez que foi agredida. A corporação investiga o caso e aguarda o relatório de laudos médicos.

A delegada informou que o caso é sigiloso e não pode passar detalhes do depoimento, como o que deu início às agressões. “Ela veio à delegacia após ser intimada e disse que foi a primeira vez que foi vítima do marido. Não há nenhum registro contra ele na polícia. Porém, como ela não denunciou dessa vez, não sabemos ainda se ela pode ter escondido outras situações”, disse a delegada Isis Leal, que apura o caso.

“Os dois continuam morando juntos. O homem já foi intimado e vai prestar depoimento na quinta-feira (3), para que eles não tivessem que vir juntos. Ele é investigado por lesão corporal. Sobre pedido de alguma medida protetiva, isso teria que ser a partir de um pedido da própria vítima”, explicou a delegada.


Investigação

O caso é investigado pela delegada Isis Leal, da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam). Segundo a investigadora, a vítima não havia procurado a delegacia até manhã desta quarta-feira, mas, mesmo assim, informou que a Polícia Civil já está investigando o caso.

Segundo previsto em lei, caso de lesão corporal contra a mulher trata-se de um delito de ação penal pública incondicionada. Ou seja, a polícia tem autonomia para investigar o caso assim que toma conhecimento, sem que seja necessária a notificação da vítima por meio do registro fato.






Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto