Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Vacina contra coronavírus não deve ser criada em menos de um ano

Representantes da indústria farmacêutica dizem que prazo para medicamento ser desenvolvido, no melhor dos cenários, é de 12 meses

Compartilhe

A indústria farmacêutica prevê que uma vacina contra o novo coronavírus - que concentra esforços de muitas empresas simultaneamente em diferentes partes do mundo - não poderá ser desenvolvida e comercializada antes de um ano, no melhor dos cenários. As informações são do R7.

"Nossa estimativa é que levará pelo menos de 12 a 18 meses até que uma vacina esteja disponível no mercado", disse na quinta-feira (19) o vice-presidente executivo da Sanofi Pasteur, David Loew, em entrevista coletiva por teleconferência.

De acordo com o executivo, "há uma (vacina) candidata na fase um dos testes clínicos e várias outras perto desse ponto".

"Podemos tentar ir muito rápido, trabalhar com as autoridades reguladoras para reduzir o prazo, mas não podemos sacrificar os requisitos de segurança e eficácia, porque as vacinas têm de ser injetadas em pessoas saudáveis", advertiu.

O vice-presidente e cientista-chefe da Johnson & Johnson Pharmaceuticals, Paul Stoffels, confirmou que "12 a 18 meses é o mínimo necessário" para que uma vacina esteja disponível, um esforço que aproveitará todo o conhecimento adquirido em pesquisas recentes para encontrar uma vacina contra o ebola e a zika.

Por sua vez, David Ricks, presidente da Eli Lilly, enfatizou que é preciso ter prudência com os testes. "Não podemos fazer concessões em questões como segurança e eficácia, porque isso também pode fazer com que as pessoas percam a confiança em outras vacinas", disse.

Os três e outros executivos de grandes empresas farmacêuticas participaram da entrevista à distância organizada, em Genebra, pela IFPMA (Federação Internacional das Associações de Fabricantes de Produtos Farmacêuticos).

O presidente da entidade, Thomas Cueni, afirmou nunca ter visto um esforço tão grande por parte de empresas farmacêuticas, de biotecnologia, pesquisadores acadêmicos e agências reguladoras para fazer com que os estudos sobre medicamentos e vacinas contra o coronavírus fossem aprovados em questão de dias - o processo normalmente leva meses em tempos normais.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar