Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Fique atento: 10 sinais no corpo que podem ser, ou não, alguma doença

Veja de forma clara, veja sinais que você deve ficar de olho com seu corpo

Compartilhe

O corpo fala! Sim, e para ajudar a identificar o momento certo em que ele precisa buscar auxílio médico, preparamos 10 sinais no corpo que podem demonstrar —ou não— a presença de alguma doença. Informações do UOL.

1- Manchas marrons no pescoço e axilas

 De aspecto aveludado, castanho-escuro, inicialmente parecida com uma sujeira, essas lesões, chamadas de acantose nigricans, costumam aparecer principalmente no pescoço e axila, mas também em dobras, como virilha, entre o braço e o antebraço, entre a perna e a coxa.

Imagem: iStock

Elas podem não representar alguma doença, como também estarem relacionadas à obesidade, e até mesmo indicar que a pessoa desenvolveu resistência à insulina, pré-diabetes e diabetes tipo 2. "Quando o indivíduo está obeso, o seu organismo necessita de uma secreção maior de insulina para poder manter os níveis de açúcar no sangue (glicemia). Isto ocorre, porque o tecido adiposo (gorduroso) funciona como uma espécie de barreira e não deixa a insulina produzida pelo corpo agir adequadamente", explica Roberta Frota, endocrinologista do centro de rim e diabetes do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

2-Unhas escuras

Imagem:iStock

Anexo da pele, a unha é uma estrutura formada por células queratinizadas e que podem indicar muito da saúde das pessoas. Isso porque qualquer alteração no organismo pode afetar sua aparência, função e crescimento. Uma das mudanças que chama mais atenção é a da cor das unhas. Chamada de cromoníquia, ela pode ser causada por infecção por fungos, bactérias, medicações, doenças sistêmicas e traumas, como uma simples batida. Dependendo da alteração, a unha pode assumir uma cor diferente, como verde ou arroxeada.

Já a cor marrom ou enegrecida, conhecida como melanoníquia, quando surge no formato de várias faixas longitudinais (verticais) e em mais de um dedo, pode indicar um efeito colateral de medicações, como a tetraciclina, por exemplo.

Por outro lado, se a coloração escura surgir em uma faixa longitudinal simples e que não melhora, é preciso ficar alerta, pois pode ser uma das manifestações do melanoma, tipo de tumor maligno desencadeado pela transformação dos melanócitos, células produtoras de melanina, que é o pigmento que dá cor à pele.

3-Espinhas na mandíbula e queixo

Imagem: iStock

Chamada de acne da mulher adulta, o problema pode ter início a partir dos 25 anos ou ser persistente da adolescência. Geralmente, esse tipo de espinha se localiza na parte inferior da face, ou seja, na mandíbula, ao redor da boca e no queixo e permanecer por meses. Porém, ela também atinge outras partes do rosto. A sua causa pode ser genética, assim como estar ligada ao desequilíbrio hormonal. Nesse segundo caso, o aumento da ação dos androgênios (substâncias precursoras dos hormônios femininos) desencadeia uma maior produção de sebo pelas glândulas sebáceas.

"O tratamento pode ser iniciado com medicação tópica, a fim de controlar a inflamação e a produção exacerbada de sebo. Mas, muitas vezes, será necessária a utilização de remédios por via oral, como antibióticos, por exemplo. E como cada caso é um caso, a melhor opção sempre será procurar um dermatologista, que prescreverá a conduta mais adequada", alerta Patricia Ormiga, assessora do departamento de cosmiatria da SBD.

4-Olheiras escuras

Imagem: iStock

A cor arroxeada na região da pálpebra inferior aparece com mais frequência em pessoas que apresentam predisposição genética, que a pele tende a ter maior pigmentação, presença de vasos sanguíneos mais calibrosos e superficiais, perda de gordura pelo processo de envelhecimento, ou que tenham o globo ocular mais retraído, como os descendentes de árabes, por exemplo. 

Isso acontece, porque, pelo fato de o olho ser fundo, a pele dessa área fica em contato com os vasos sanguíneos, e o pigmento do sangue, chamado hemossiderina, pode passar para a derme, "manchando-a" com o tempo.

5-Língua fissurada

Imagem: iStock

Algumas pessoas apresentam fissuras no dorso e nas extremidades da língua. "Geralmente, essa condição é genética, mas também pode estar associada a um inchaço local ou alguma doença infecciosa", conta Fausto Nakandakari, otorrinolaringologista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

O único alerta para quem tem língua fissurada é em relação à higiene. Uma boa escovação da língua após as refeições contribui para que restos de alimentos não se acumulem nesses espaços, o que pode causar dor, irritação e até inflamação da língua. 

6-Queda de fios das sobrancelhas

Imagem: iStock

Com o envelhecimento, os cabelos e os pelos do corpo tendem a ficar com uma aparência diferente, mais frágeis e quebradiços. E isso também pode acontecer com os fios das sobrancelhas, que passam a cair. Além disso, em mulheres, a causa mais comum dessa falha é o hábito frequente de depilar a região.

Porém, a queda de cabelos nessa área também pode estar atrelada aos distúrbios hormonais, como o hipotireoidismo. "Geralmente, os fios das sobrancelhas caem quando o problema na tireoide está avançado, ou seja, já se manifestou por meio de outros sintomas, mas mesmo assim, não foi tratado. Então, ao seguir corretamente com a terapia, não acontece mais a queda dos cabelos e os fios voltam a crescer normalmente", alerta Rosita Fontes, médica endocrinologista, membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e professora associada de endocrinologia e metabologia da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro).

7-Espinha que não cura

Imagem: iStock

Seja no rosto ou em qualquer parte do corpo, se aparecer uma pequena lesão de aspecto perolado e parecida com uma espinha, mas que não desaparece, é preciso alerta. Isso porque, a evolução natural da acne nada mais é do que aumentar de tamanho, criar pus, romper e desaparecer em um tempo relativamente curto. Caso isso não aconteça, e a lesão passar a sangrar e a coçar facilmente, pode ser sinal de carcinoma basocelular, que é um tipo de câncer de pele não-melanoma e o mais comum entre a população mundial.

"É uma doença de baixa agressividade, na grande maioria das vezes, com crescimento lento e restrito ao local em que se iniciou", diz Angélica Nogueira Rodrigues, oncologista e diretora da SBOC (Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica).

8-Crescimento incomum de pelos nas mulheres

Imagem: iStock

Quando isso acontece em partes do corpo que normalmente os homens possuem pelos, como acima dos lábios (buço), ao redor do queixo ou abaixo do umbigo, pode ser um dos sintomas da SOP (Síndrome do Ovário Policístico). 

"Isso porque, quando a mulher tem esse problema, ocorre o aumento da produção de androgênios, que pode levar ao aparecimento de acnes e os ciclos menstruais ficam mais espaçados. E numa forma mais intensa, esses hormônios podem fazer com que a paciente tenha aumento de pelo nas regiões já mencionadas", explica Maurício Abrão, ginecologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

9-Dores e ressecamentos dos dedos

Imagem: iStock

Ao sentir incômodos nessa parte do corpo, com a pele dos dedos mais grossa e perceber que as unhas estão maiores, mais arredondadas e largas, é preciso atenção, pois esse pode ser um dos sintomas de doença pulmonar. 

Isso porque a diminuição contínua dos níveis de oxigênio no organismo pode levar ao aumento das extremidades dos dedos e amolecimento da lâmina ungueal, conhecido como baqueteamento (espessamento) digital (pelo formato similar a uma baqueta de tambor).

10-Área branca dos olhos amarelados

Image caption

Conhecida como icterícia, esse problema não atinge somente os recém-nascidos. No caso dos adultos, a esclerótica e a pele amareladas podem significar, por exemplo, o consumo excessivo de betacaroteno, substância responsável pela coloração de alimentos como cenoura, caqui e manga. "Além disso, pessoas com a chamada síndrome de Gilbert (quando o fígado não consegue processar de forma adequada a bilirrubina), ao menor sinal de estresse, desenvolvem a icterícia, que não indica qualquer gravidade", afirma Carla Matos, hepatologista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Entretanto, também pode indicar problema no fígado, como hepatites, cirrose e outras doenças no órgão. "Qualquer alteração no fígado que impeça o seu bom funcionamento faz com que a bilirrubina caia na corrente sanguínea e, por isso, algumas partes do corpo ficam amareladas", conta Debora Poli, hepatologista do Hospital São Luiz, em São Paulo. O tratamento, claro, dependerá da causa da icterícia.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar