mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Tecidos humanos podem absorver microplásticos, diz pesquisa

Uma equipe de especialistas testou 47 amostras retiradas de pulmões, fígado, baço e rins.

Estudos anteriores em animais selvagens ligaram a exposição a micro e nanoplásticos à infertilidade, inflamação e câncer. Mas os resultados de saúde em humanos são atualmente desconhecidos. Agora, um novo estudo de pesquisadores da Arizona State University encontrou evidências de que os órgãos e tecidos humanos podem absorver vestígios de nano e microplásticos.

A equipe testou 47 amostras retiradas de pulmões, fígado, baço e rins - quatro órgãos que podem ser expostos, filtrar ou coletar microplásticos - de um repositório pré-existente de tecidos do cérebro e do corpo que foi estabelecido para estudar doenças neurodegenerativas, como Alzheimer.

Pequenos pedaços de pláticos (foto: divulgação)Pequenos pedaços de pláticos (foto: divulgação)

Depois de expor as amostras de tecido a uma variedade de microplásticos e colocá-las em um espectrômetro de massa, eles descobriram que cada amostra continha traços de plástico, incluindo policarbonato (PC), tereftalato de polietileno (PET) e polietileno (PE). O bisfenol A (BPA), uma substância ainda usada em muitos recipientes de alimentos, apesar de preocupações com a saúde, foi encontrado em todas as 47 amostras humanas.

“Você pode encontrar plásticos contaminando o meio ambiente em praticamente todos os locais do mundo e, em poucas décadas, deixamos de ver o plástico como um benefício maravilhoso e passamos a considerá-lo uma ameaça”, disse o co-autor e aluno de doutorado Charles Rolsky .

“Há evidências de que o plástico está entrando em nosso corpo, mas poucos estudos o procuraram por lá. E, neste ponto, não sabemos se este plástico é apenas um incômodo ou se representa um perigo para a saúde humana. ”

Os pesquisadores também criaram um programa de computador que converteu informações sobre a contagem de partículas de plástico em unidades de massa e área de superfície que eles planejam compartilhar online para que outros pesquisadores possam relatar seus resultados de maneira padronizada.

Eles agora planejam investigar quaisquer riscos potenciais à saúde que possam surgir devido à contaminação por plástico.

“Nunca queremos ser alarmistas, mas é preocupante que esses materiais não biodegradáveis que estão presentes em todos os lugares possam entrar e se acumular nos tecidos humanos, e não sabemos os possíveis efeitos para a saúde”, disse o estudante de doutorado e coautor Varun Kelkar .

“Assim que tivermos uma ideia melhor do que está nos tecidos, podemos realizar estudos epidemiológicos para avaliar os resultados da saúde humana. Dessa forma, podemos começar a entender os riscos potenciais à saúde, se houver. ”

Como o plástico chega aos oceanos?

Cerca de 80% dos resíduos plásticos encontrados nos oceanos hoje são originários do interior. O lixo, a má gestão de resíduos e a atividade industrial podem permitir que o plástico entre no ambiente natural.

Uma proporção significativa disso então se espalha em rios e riachos, que os carregam para o oceano. Isso é particularmente comum em países onde a infraestrutura de resíduos é insuficiente: cerca de dois bilhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso à coleta de resíduos sólidos.

Além disso, as águas residuais de nossas casas geralmente contêm pequenos pedaços de plástico, incluindo microesferas de cosméticos (agora proibidas no Reino Unido) e fibras de roupas de poliéster. O combate à poluição do plástico, portanto, exige que indivíduos, governos e empresas em todo o mundo trabalhem juntos para reduzir o consumo e o desperdício de plástico.

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail