Entenda mais sobre o pum vaginal, algo tão comum quanto o orgasmo

O pum vaginal ocorre com mais frequência do que se pode imaginar

Você iniciou sua vida sexual há pouco tempo, está testando novas posições e tendo uma transa incrível até que… solta um pum! Aquele barulho estraga todo o clima, você não sabe o que fazer, mas tem certeza de que o som não saiu por trás. Bem, parabéns, você teve o seu primeiro flatos vaginal.


Esse pum saiu da minha pepeca

A situação fica ainda mais constrangedora quando também é a primeira vez que o parceiro descobre o chamado flatos vaginal. O casal acaba interrompendo o que estava fazendo porque a flatulência, apesar de ser uma das coisas mais naturais do mundo, ainda é um tabu.

A menina tenta, ao mesmo tempo, entender e explicar o que rolou, mas nunca dá para saber se o parceiro novato no assunto realmente compreendeu a situação. Uma rápida pesquisa na internet ou conversa com amigos mais experientes podem deixar os dois mais tranquilos: sim, isso acontece e é muito comum.

Fica tranquila

Já quando o parceiro já teve outras experiências com flatos vaginais o máximo que vai fazer é rir do choque da mulher que acabou de escutar o som pela primeira vez. Felizmente, ele vai conseguir explicar que o barulho é normal e acontece mesmo quando está ocorrendo uma relação sexual.

Não tenho maturidade

Depois de algumas transas, você vai perceber que o pum vaginal ocorre com mais frequência do que se pode imaginar, principalmente se as posições escolhidas deixam a vagina mais aberta. Entretanto, independentemente da experiência da pessoa, como não rir quando se é surpreendido pelo flatos?

Mas como ocorre?

Imagine que a vagina é como uma bexiga vazia. As paredes ficam grudadinhas, para que nenhum ar entre pela abertura vaginal. Entretanto, quando o homem penetra a mulher com o pênis, as paredes se distanciam. Normalmente, elas envolvem o órgão masculino para que nenhum arzinho entre, mas, se a abertura está muito esticada ou o pênis sai quase que totalmente e entra de novo, pode entrar ar.

Quando o ar consegue um espacinho para entrar, o pênis passa a funcionar quase que como uma bomba de ar para encher a bexiga. Quando você usa o aparelho, faz aquele vai e vem para empurrar o ar do ambiente para dentro da bexiga. Uma hora, você vai tirar a bomba da abertura e, se não segurar direitinho, todo o ar vai vazar da bexiga e ela vai produzir alguns sons porque as superfícies de plásticos vão ficar se debatendo.

É a mesma coisa que ocorre com a vagina. O ar vai entrando cada vez mais, até que o sexo termina. O homem tira o pênis e, obviamente, não há nada para continuar segurando o ar lá dentro. Por conta da relação sexual, a vagina vai estar dilatada, mas aos poucos vai voltando ao normal, expelindo tudo que está la dentro. No caso do homem não ter usado camisinha, a vagina vai expulsar o sêmen. Já quando só tem ar lá dentro… pum vaginal.

Os flatos saem com mais facilidade ainda quando a mulher fica de pé. Às vezes, ela termina o sexo, fica lá, deitada com o parceiro, um clima super romântico e nem lembra que pode ter entrado ar. Mas aí, ela levanta da cama e... pum. Paciência, segue em frente – até porque, isso significa que vocês se divertiram bastante.

Músculos são importantes

A musculatura da vagina tem um papel importante nesta história. Nenhuma mulher está livre do flatos vaginal, mas quanto mais frouxa é a região, maiores são as chances de ocorrerem os barulhos. O problema pode ocorrer após a mulher passar por um parto normal e tem solução.

Quando ocorre a laceração dos músculos do períneo, que é a região que fica entre a vagina e o ânus, além de eliminação de flatos vaginais durante o sexo também podem aparecer sintomas como, dificuldade em se alcançar o orgasmo, falta de sensibilidade e incontinência urinária.

Um especialista pode indicar o melhor tratamento para cada caso. A mulher pode fazer algumas sessões de fisioterapia para fortalecer o assoalho pélvico ou então passar por uma perineoplastia, cirurgia para reconstruir ou aproximas os músculos do períneo.

Posições sexuais

A entrada de ar está muito ligada com o tamanho da abertura da vagina. Por exemplo, se a mulher ficar pelada e agachada, com o bumbum quase encostando no chão e o joelho grudados nos peitos, também pode ter alguns ares entrando em sua vagina. Quando ela ficar de pé, poderá ter um pum vaginal. Então sim, a posição sexual também influencia muito na ocorrência de flatos.

Papai e mamãe

Quando o homem está em cima da mulher, dificilmente o pênis vai sair totalmente da vagina, fazendo com que o ar entre. Então esta é uma das posições mais seguras para se transar quando você ainda sente vergonha do barulho.

Quatro

A vagina da mulher vai estar bem aberta para a entrada do pênis quando ficar de quatro, ao mesmo tempo, como o homem terá mais controle do seu próprio órgão, poderá tirá-lo mais vezes da vagina. A entrada de ar é praticamente certa nesta posição.

Mulher por cima

Quando a mulher senta no pênis do homem, pode acabar se inclinando para frente para aumentar a profundidade da “sentada”. Com isso, a abertura da vagina vai aumentar e, consequentemente, a chances de flatos vaginal também.

Com o tempo, você vai ter certeza de que o pum vaginal é algo normal do sexo. Sendo assim, se algum cara já foi estúpido ou mudou de comportamento com você porque ficou com nojo do barulho, repense suas opiniões sobre ele. E principalmente, nunca pense que você fez algo de errado.

Fonte: Com informações do IG
logomarca do portal meionorte..com