Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Coletivo Piauhy estreia ‘Sonatas de Amores, Não’

O autor trabalhou numa linha tênue, porém, profunda

Coletivo Piauhy estreia  ‘Sonatas de Amores, Não’
Espetáculo | Divulgação
Compartilhe
Google Whatsapp

Inspirado no texto do dramaturgo Eraldo Pereira e com direção de Adriano Abreu, o Coletivo Piauhy Estúdio das Artes estreia hoje ‘Sonatas de Amores, Não’. Será às 19h no Teatro João Paulo II. A peça traz à tona a relação entre uma mãe e seu filho e o que envolve os dois, em um caminho de encontros e desencontros entre eles. O autor trabalhou numa linha tênue, porém, profunda. “É a relação de Zélia e seu filho Pedro, a partir de uma ótica multidimensional de tempo, onde o passado e o presente interagem, possibilitando aos espectadores uma viagem através dessa história conflituosa, onde o signo da intolerância e desamor estão sempre presentes”.

Segundo Adriano Abreu, a escolha do texto do Eraldo, a quem ele tem uma relação muito intensa no teatro, tendo já montado outras produções com seu apoio e consultoria, vai de encontro a discussão sobre as relações familiares na formação humana. Um tema muito pulsante e que remete a algo necessário e importante, fala da atualidade em que as pessoas sofrem, não dialogam e nem expõe suas dores e conflitos.

A arte acaba desempenhando um papel importante na construção de um diálogo com a sociedade e, no caso, de ‘Sonatas’, Adriano achou essencial trazer à tona as questões que envolvem o texto, que é bastante atual. “Questões como respeito a orientação sexual, religiosidade, opressão e preconceitos compõem o pano de fundo dessa obra.

Não fizemos adaptações, mas enxertamos algumas referências do texto”, diz Eraldo Maia, em seu texto, percorre traz a história de um drama familiar expondo todo o universo de sentimentos que permeiam uma relação conflituosa, porém de forma silenciosa e ao longo dessa história são expostas. O filho gay reencontra sua mãe 25 anos depois, já acometida por um avançado estado de Alzheimer, e em meio a este clima turbulento são expostas as lembranças, desejos e frustrações desses personagens. Presente e passado se encontram e revelam situações através da encenação.

Para compor o espetáculo, o diretor lembra que foi tudo construído a partir de etapas, mas apesar dos desafios, ele lembra que cada um deles foi importante para o resultado final, como em toda produção, é preciso dedicação para se conseguir um bom resultado.

“Os desafios foram tantos que seria impossível enumerar. E o melhor foi perceber que qualquer coisa que o Coletivo Piauhy Estúdio das Artes realize será sempre um ato de amor solene e profundo”.

A história de Zélia, representada pelas atrizes Silmara Silva e Érica Anunciação, e seu filho Pedro, representado pelos atores Allex Cruz e Carlos Aguiar, constitui a ‘Sonatas de Amores, Não’, que leva ao palco uma história que emociona e vai bem além de um simples olhar, como define Abreu. “O teatro serve justamente para que possamos, através da reflexão, construirmos uma sociedade menos destrutiva”. (Por Liliane Pedrosa)


Siga nosso canal no telegram
Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto