Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Espetáculos da Paixão de Cristo movimentam Semana Santa pelo Brasil

Além da tradicional montagem em Nova Jerusalém, encenações em diversas cidades reproduzem os últimos dias de vida de Jesus

Espetáculos da Paixão de Cristo movimentam Semana Santa pelo Brasil
Paixão de Cristo em Nova Jerusalém, Pernambuco | Divulgação
Compartilhe
Google Whatsapp

Às vésperas da Páscoa, a encenação da Paixão de Cristo ganha palco em igrejas, hortos, parques e vales em diversas cidades do País. A representação, que no Brasil começou com a iniciativa visionária do comerciante e político Epaminondas Mendonça, no interior de Pernambuco, se tornou uma das principais tradições nacionais nesta época do ano. Diversas montagens já obtiveram apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Desde 1991, 142 versões da peça foram realizadas com recursos captados por meio da Lei, em um total de R$ 21 milhões.

No Piauí, os espetáculos ocorrem em Teresina, Floriano e Bom Jesus. Em Oeiras, a tradicional programação religiosa está no calendário cultural do estado.

A Paixão de Piracicaba (SP), que em 2019 chega à 30ª edição, é uma delas. Tudo começou quando um grupo de atores da cidade se reuniu para fazer a encenação por conta própria. Com o aprimorar da peça, foram percebendo que necessitavam de uma estruturara melhor e, em 1996, criaram a Associação Cultural e Teatral Guarantã, que, desde então, organiza anualmente a montagem.

A associação conta com diversos apoios, entre os quais o da prefeitura municipal e da Lei Federal de Incentivo à Cultura. De acordo com a diretora de produção da Associação, Anelisa Ferraz, em 2019, eles conseguirão fornecer ajuda de custo para os mais de 200 atores que compõem o elenco. “Nós nos reunimos com o Sated (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões), pois nos últimos anos, além dos voluntários, há atores e estudantes de artes cênicas que participam da encenação, e conseguimos acordar uma ajuda de custo para os todos os intérpretes que atuam na montagem”, informa.

Os trabalhos começam quase um ano antes da Páscoa, quando são abertas as oficinas de atuação para as pessoas que não têm formação em artes cênicas e desejam atuar na peça. Em 2018, as oficinas começaram em outubro. Em dezembro, são feitas as inscrições e candidaturas para os papéis principais e, em janeiro, começam os ensaios. Durante a semana, são realizados nas dependências da Associação e, no fim de semana, no Parque do Engenho, onde a peça é encenada para um público de cerca de 2 mil pessoas. Desde que foi fundada, a Associação já captou mais de R$ 3,9 milhões para organizar 30 encenações da Paixão de Cristo.

Espetáculo levou mais de 4 milhões de pessoas ao agreste pernambucano

As encenações da Paixão de Cristo no Brasil tiveram início em 1952, na vila de Fazenda Nova, no município de Brejo da Madre de Deus, a 200 km do Recife. Epaminondas Mendonça leu sobre a encenação do calvário organizada por uma cidade da Baviera alemã e decidiu que faria o mesmo, a fim de impulsionar o comércio local.

Em 1956, o gaúcho Plínio Pacheco assistiu ao espetáculo a convite do ator e diretor Luiz Mendonça, que interpretava Jesus. Além de se apaixonar por Diva Mendonça, filha de Epaminondas, com quem se casou, Luiz também se deixou envolver pela história da Paixão de Cristo. Em 1962, Pacheco teve mais uma ideia visionária: construir uma cidade teatro que replicasse Jerusalém e que servisse de palco para o espetáculo. Com recursos próprios e o apoio da família e de amigos da região, ele inaugurou a cidade teatro de Nova Jerusalém em 1968 e, desde então, a peça é encenada no local.

Desde a primeira edição, a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém já atraiu mais de 4 milhões de pessoas. Movimenta, anualmente, o comércio de Brejo da Madre de Deus e de municípios próximos, como Caruaru, Gravatá, Santa Cruz do Capiberibe e Toritama, como também o turismo em Porto de Galinhas e até Recife.

A cada temporada, cerca de 250 mil pessoas visitam a região, sendo que 60 mil assistem ao espetáculo. Estima-se que a encenação movimente R$ 200 milhões na economia local, incluindo os investimentos em divulgação, produção, comércio, hotéis, pousadas e transporte. A montagem se tornou tão famosa que até já foi tema de documentário da rede TV estatal da Inglaterra, a BBC.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×