Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Beyoncé e Jay-Z sofrem ameça de processo por plágio; entenda

O casal está sendo acusado de usar a voz de uma artista jamaicana sem autorização

Compartilhe

A vida de Beyoncé pode até parecer perfeita, mas nem tudo são flores na vida dos Carter. Vem saber a polêmica da vez. Beyoncé e Jay-Z estão enfrentando mais um processo. Apesar de serem sempre discretos e nunca se envolverem em confusão, tudo indica que nem eles estão imunes a ter que lidar com um tribunal básico. 

De acordo com o TMZ, a artista e coreógrafa jamaicana L'Antoinette Stines entrou na justiça contra o casal, alegando que eles teriam usado sua voz sem sua permissão no single Black Effect, do álbum Everything Is Love. De acordo com a documentação apresentada, a história toda começou lá em 2018, quando Queen B e o rapper a procuraram porque queriam alguns dançarinos específicos para fazerem parte de um vídeo promocional que entraria no processo de divulgação do On The Run II, projeto no qual o casal se apresenta lado a lado em um mega show.  

Reuters

Ainda segundo o TMZ, Stines conseguiu os profissionais solicitados pelo casal e esteve na gravação durante todo o tempo. Em determinado momento, ela deu um depoimento sobre o amor, que foi usado no início de Black Effect, mas que não foi autorizado pela artista. Logo nos primeiros 60 segundos da música, Stines divaga sobre os tipos de amor que existem, como amor próprio e outros mais. 

Os advogados da coreógrafa ainda afirmam que ela recebeu uma documentação para assinar no primeiro dia da gravação e os responsáveis por essa parte burocrática disseram que ela não precisaria se preocupar, pois o material gravado seria usado somente para promover o On The Run 2 e nada mais. Para a surpresa de Stines, assim que Black Effect foi lançado, sua voz estava no comecinho da canção e ela não havia sido creditada. 

Diante dessa situação, os advogados da jamaicana afirmam que os vocais dela são apresentados nos primeiros 60 segundos, de uma música que dura aproximadamente cinco minutos e treze segundos, ou seja, os vocais dela são apresentados em aproximadamente 19,17% da gravação. Como não houve autorização prévia, ela busca receber uma indenização do casal.  

Black Parade 

Recentemente, Beyoncé lançou Black Parade, música composta por Jay-Z, e que fala da discriminação racial. Lançada no Juneteenth, data que marca o fim de 200 anos de escravidão nos Estados Unidos, a cantora ainda aproveitou para lançar uma galeria digital que tem como objetivo divulgar empreendedores e artistas negros.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar