Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Débora Nascimento: “Mantive silêncio para não expor mais uma mulher”

A atriz escreveu um longo texto em seu Instagram neste domingo

Débora Nascimento: “Mantive silêncio para não expor mais uma mulher”
|
Compartilhe

Desde que sua vida pessoal se tornou um debate público, Débora Nascimento tem se mantido calada. Separada do ator José Loreto, ela escreveu um longo texto em seu Instagram neste domingo (10/3) que, sem citar nomes, explica os motivos que a fizeram escolher não comentar sobre o assunto. 

“Mantive meu silêncio justamente para não expor mais uma mulher — exercitando minha empatia e sororidade, que é verdadeira e não oportuna”, garantiu. Suas palavras não são apenas um recado aos que esperavam um posicionamento depois do divórcio: Débora escolheu também se posicionar de forma feminista diante do que aconteceu em sua vida. 

“Nenhuma mulher merece se sentir oprimida. Diante de tantos ataques e injúrias oportunistas que venho sofrendo, meu silêncio agora me oprime, mas a verdade há de me libertar”, começou. A atriz segue afirmando que a verdade sempre tem três lados: “o da pessoa que conta a sua versão, a versão do outro e finalmente o fato propriamente dito”. 

Veja também

ver mais de "Débora Nascimento"

Depois disso, ela reclama das redes sociais, classificando-as como um “sistema de manipulação de imagem e narrativa”. “Eu, Débora, faço questão de viver e valorizar a vida real, de acordo com meus princípios, prezando pelo bom senso e respeitando quem eu sou genuinamente: uma mulher de 33 anos, que trabalha muito, mãe de uma menina de 10 meses”. 

E ela cita novamente a filha, Bella, quando afirma que silenciar-se também envolveu protegê-la. “Pautei minhas atitudes com muita cautela, sempre priorizando proteger minha filha. Tenho ciência do meu poder feminino — o que considero um ato de resistência dentro da estrutura moralista e machista de um país onde 536 mulheres são agredidas por hora, onde as estatísticas perdem espaço para fake news”.

 Por fim, ela enfatiza o quão é uma mulher dona de si mesma e garante que “nenhuma manipulação, julgamento injusto, narrativa artificial ou notícia mentirosa vai me impedir de ser feliz. Não aceito nada menos que ser feliz, devo isso a mim e minha filha”.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar