Após expulsão, Luís Fabiano pode pegar gancho de 19 jogos

Procurador do TJD afirma que jogador será denunciado

A expulsão de Luis Fabiano no tumultuado clássico com o Flamengo, domingo, em Brasília, pode custar caro ao Vasco. Principal contratação do clube para a temporada, o Fabuloso corre o risco de ser suspenso por até 19 jogos, o que o deixaria fora não só do restante do Campeonato Carioca, mas de praticamente todo o primeiro turno do Brasileiro.


Luis Fabiano deve ser denunciado hoje pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-RJ) em pelo menos três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: 250 (praticar ato desleal ou hostil) 243-F (ofender alguém em sua honra) e 258 (conduta contrária à disciplina e à ética). 

Ontem, o procurador geral do TJD, André Valentim, leu a súmula do árbitro Luis Antonio Silva Santos e hoje vai analisar a fita da partida para decidir se classifica ou não o toque do jogador no árbitro como agressão. Isso poderia complicar ainda mais a situação do jogador. 

“Ainda estou na dúvida, preciso ver a fita novamente para definir. Mas nos outros artigos, como a ofensa ao árbitro e a conduta anti desportiva, não há como. Vou analisar tudo com muito cuidado”, garantiu Valentim.

Na súmula divulgada ontem pela Ferj, o árbitro Luis Antonio Silva Santos relata que foi desequilibrado por Luis Fabiano. “No susto, com sua atitude, tentei dar um passo para trás a fim de evitar contato, mas ainda assim o jogador vem para cima, toca o seu peito no meu e me leva ao desequilíbrio. Ainda tive que usar os braços para evitar ir ao chão”, escreveu o juiz. Em outro trecho, ele relato as ofensas verbais por parte do atacante: “Você é moleque, safado, mal intencionado”. 

A pena por ofender alguém em sua honra vai de quatro jogos à multa. Pelo ato de hostilidade, de um a três jogos. Já por conduta contrária à etica, artigo 258, de um a seis jogos. Mas, pela gravidade do caso, o 258 deve ser dobrado, podendo chegar de dois a 12 jogos. A conta é alta, 19 jogos, e o Vasco fará de tudo para não precisar pagá-la. 



Fonte: iG