Bernie Ecclestone está fora do comando da Fórmula 1

Eu fui demitido hoje. Apenas vou embora. É official

Bernie Ecclestone já não é mais o chefão da Fórmula 1. O antigo homem forte da categoria foi deposto do cargo nesta segunda-feira. Ecclestone confirmou a informação em entrevista ao site alemão “Automotor und Sport”, após boatos que movimentaram a categoria nas últimas semanas. O dirigente estava à frente da F1 nos últimos 40 anos.


- Eu fui demitido hoje. Apenas vou embora. É official. Eu não comando mais a companhia. Minha posição foi assumida por Chase Carey.

Image title

Chasey Care é o presidente da Liberty Media, empresa americana que assumiu o controle da Fórmula 1. O executivo, por enquanto, vai acumular também a função de CEO, mas não está descartada a hipótese de que outro nome assuma em breve. Sean Bratcher, executivo responsável pelo crescimento da americana ESPN, é um dos cotados para assumir a missão.

Ecclestone ainda terá um cargo honorário na categoria. Na entrevista, porém, o antigo homem forte da Fórmula 1 desdenhou da função.

- Minha nova posição é como uma expressão americana. Um tipo de presidente honorário. Eu vou assumir essa posição sem saber o que significa – afirmou. Ecclestone afirmou que seus dias no escritório já estavam bem menos movimentados do que em outras épocas. Diz, porém, que não vai se afastar da Fórmula 1.

- Meus dias estão pegando um pouco mais calmos agora. Talvez eu vá a um Grand Prix. Eu ainda tenho muitos amigos na Fórmula 1. E eu ainda tenho dinheiro suficiente para fazer uma visita numa corrida – ironizou Ecclestone, que não sabe se continuará a fazer parte do conselho mundial da FIA.

Mais tarde, em um tom bem mais político, Ecclestone disse ter orgulho de todo o seu trabalho frente à F1. - Eu tenho orgulho do negócio que construí nos últimos 40 anos e tudo o que eu conquistei com a Fórmula 1. E gostaria de agradecer todos os promotores, equipes, patrocinadores e companhias de televisão com quem trabalhei. Eu estou satisfeito que o negócio tenha sido adquirido pela Liberty e que ela tenha a intenção de investir no futuro da F1. Eu tenho certeza que Chase vai cumprir seu papel de uma forma que beneficie o esporte.

O anúncio da saída de Ecclestone segue à confirmação de que a Liberty Media poderá adquirir os 100% das ações da empresa, pertencentes à Delta Topco (empresa irmã da F1) e concretizar a compra da categoria - o que deve acontecer até o fim deste mês. Com a futura aquisição, a empresa que gere os direitos da F1 passará a se chamar Formula One Group.

A decisão da Federação foi tomada durante uma reunião do grupo de estratégia, na última quarta-feira, em que os futuros donos da categoria realizaram uma apresentação detalhada sobre os planos para a categoria e, em seguida, dando a oportunidade de os presentes tirarem dúvidas.

Fonte: Globo Esporte