Doping do atleta de vôlei Murilo é confirmado após contrapova

Jogador de 36 anos volta a ser pego em exame antidoping

A contraprova do exame antidoping de Murilo confirmou o resultado positivo para a substância proibida furosemida. A informação foi divulgada no blog do jornalista Bruno Voloch, no "Estadão", e confirmada. O jogador de 36 anos do Sesi-SP testou positivo para o diurético em exame realizado no dia 10 de abril, mas pediu o exame da amostra B, que repetiu o resultado da A.



Na semana passada, quando ainda não sabia o resultado da contraprova, Murilo se pronunicou sobre o assunto e afirmou estar com a consciência tranquila. O experiente jogador disse ter ficado surpreso com o doping e reforçou que, de qualquer forma, o uso da furosemida não traz benefícios ao atleta.

- Diurético no vôlei não dá melhora de performance, isso, quando muito, prejudica. Vamos aguardar a amostra B. Se, por ventura, a amostra B confirmar, vamos apresentar uma defesa dizendo que não aumentaria a performance - disse Murilo, que está sendo defendido pelo advogado Marcelo Franklin, responsável por outros casos de destaque no passado, como: Cesar Cielo, Ana Claudia Lemos e Etiene Medeiros.

O Sesi-SP e a Federação Internacional de Vôlei ainda não confirmaram oficialmente o resultado da contraprova. Com a seleção brasileira masculina de vôlei, Murilo conquistou as medalhas de prata nas Olimpíadas de Pequim 2008 e Londres 2012, além de ter sido eleito o melhor jogador do Mundial de 2010. Ele foi cortado dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, por opção do técnico Bernardinho.


Fonte: Globo Esporte