Filho de Caio Jr. desabafa e acusa a Chape de marketing ganancioso

O filho do ex-técnico criticou veemente o clube.

O filho do ex-técnico Caio Jr, que faleceu na queda do voo da Chapecoense, em novembro de 2016, está revoltado com a direção do clube catarinense. No mesmo dia em que Chapecó fez festa para agradecer ao Atlético Nacional e ao povo colombiano pela solidariedade após a tragédia em Río Negro, perto de Medellín, Matheus Saroli desabou em suas redes sociais e criticou a equipe.

Depois que a equipe venceu os colombianos por 2 a 1, na partida de ida da Recopa Sul-Americana, na Arena Condá, o jovem afirmou que a Chapecoense fez “um marketing ganancioso” com o fato triste, que matou 71 pessoas e deixou apenas seis sobreviventes.

“Hoje o clube é dirigido por pessoas que não têm ligação com as vítimas. A ligação deles é com o marketing, com a expansão, com o retorno, com a captação, e blá blá blá. Impressionante o quanto eles estão preocupados com a reconstrução do clube, que continua vivo, mas não em uma construção de uma imagem de todos os guerreiros que doaram a vida pelo clube. Pela construção de famílias sem pais para filhos pequenos e mãe desamparadas, de famílias sem seus filhos e irmãos queridos”, escreveu em seu Facebook.


Matheus questionou as ações da Chapecoense com os familiares das vítimas, que, segundo o filho do ex-treinador, sempre foram nulas. As famílias ainda lutam na Justiça pelas indenizações pelas mortes

“Contratação de diretor artístico, patrocínio em carros de corrida, show pirotécnico, salário em dia para os atletas e comissão da tão importante reconstrução do clube. Minha pergunta é: Será que se o clube tirasse o ano, ou o semestre pelo menos para dar atenção única e exclusiva às vitimas teríamos outro cenário? Teríamos outro tipo de atenção da mídia, visando apenas ajudar os que merecem nesse momento? Teríamos o numero de pessoas necessário para ajudar crianças pequenas com tratamento psicológicos e inúmeras outras situações? Teríamos pessoas para resolver toda questão burocrática envolvendo mais de 50 famílias que até hoje não foram todas resolvidas? Mas não, contratar um diretor artístico para uma festa absurda e um elenco inteiro novo é prioridade da reconstrução”, questionou na rede social.

Fonte: Com informações do Extra
logomarca do portal meionorte..com