Flamengo domina o segundo tempo e goleia o San Lorenzo por 4 a 0

O San Lorenzo conseguiu controlar a partida no começo.

Para uma estreia tão esperada na Libertadores, os 45 minutos iniciais pareciam uma eternidade. Mas o Flamengo soube sofrer e sua torcida — pouco mais de 60 mil — também. A vitória por 4 a 0 sobre o San Lorenzo, pelo Grupo 4, se construiu não apenas no bom futebol, mas na bola parada do camisa 10 Diego. Foi o desafogo de um time que até então não se impunha e que sobrou fisicamente para achar os espaços. Com a entrada de Berrio, eles se multiplicaram. Além do colombiano, Trauco caiu nas graças com um golaço. Das falhas às virtudes, o Flamengo apresentou suas credenciais contra um time experiente, apesar da falta de ritmo.

Na etapa inicial, o San Lorenzo conseguiu controlar a partida jogando do meio para trás e freando as ações do Rubro-negro com facilidade. O time argentino, como o treinador Zé Ricardo havia previsto, tentou cozinhar o duelo — parecido com o que fez o Fluminense no último domingo, mas sem rapidez.

O panorama mudou com a entrada de Berrío aos 32 minutos do primeiro tempo, depois que Mancuello apagou ao se chocar com um adversário. A atuação deve ter garantido sua vaga na equipe titular. Mas o que decidiu mesmo foi o gol de falta de Diego, no início da etapa final.

A partir dali, os adversários tiveram que partir para o ataque e deram espaço para o Flamengo, que, após o golaço de Trauco, fez a festa.

A equipe argentina caiu muito de produção — a parte física pesou, já que o time não jogara este ano devido à greve em vigor no futebol argentino.

O terceiro gol, uma cabeçada de Rômulo, já foi em clima de “festa na favela” — como cantava a torcida rubro-negra. O quarto, um golaço de Gabriel, foi parte da festa também. Nem o pênalti perdido por Guerrero no fim estragou a festa.

Fonte: Com informações do Jornal Extra