Hugo Souza não passava segurança? Isso mudou. Gabigol vivia jejum? Acabou. Flamengo não vencia mais o Fluminense? Ganhou. De virada, neste domingo, o Rubro-Negro voltou a bater o Tricolor depois de mais de um ano, agora por 2 a 1, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro no Maracanã. Germán Cano fez para os tricolores, enquanto Andreas Pereira e o camisa 9 garantiram o resultado para o Fla.

Com o resultado, o Fla sobe para a nona posição, com 12 pontos. Já o Flu cai para 12º, com 11. Agora, por conta da Data Fifa, os dois times terão a semana livre de treinamentos antes da nona rodada. No domingo, às 11h, o Fluminense enfrenta o Juventude fora de casa. No mesmo dia, o Flamengo recebe o Fortaleza no Maracanã, às 16h.

O primeiro tempo foi bem nervoso entre as duas equipes e já começou a milhão. O Fluminense foi ganhando cada vez mais confiança nos minutos iniciais e aos 10 abriu o placar. Após cobrança de escanteio pela esquerda, Manoel desviou e Germán Cano chegou cabeceando para o fundo do gol, colocando o Tricolor na frente. Dando muito espaço, a defesa do Flamengo mal ameaçou o argentino, que balançou a rede pela 19ª vez em 2022.

Gabigol deu fim ao jejum e marcou o gol da vitória do Flamengo sobre o Fluminense (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)Gabigol deu fim ao jejum e marcou o gol da vitória do Flamengo sobre o Fluminense (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

O Fluminense mostrava boas chegadas ao ataque e também se recompunha bem, dando pouco espaço ao Flamengo. Mas o cenário foi mudando na parte final da primeira etapa. O Tricolor ainda reclamou muito de uma falta em Jhon Arias ignorada pelo árbitro, mas o Rubro-Negro criou duas grandes oportunidades antes de deixar tudo igual. Aos 33, Matheuzinho entrou com liberdade pela direita, a bola foi desviada e sobrou para Andreas Pereira dar um chutaço da entrada da área e correr para o abraço.

Ainda teve tempo para Fábio se atrapalhar na saída de bola e dar um enorme susto no Fluminense. A parte boa para os tricolores foi que Arrascaeta pegou mal na bola e mandou para fora. Cano ainda reclamou de um pênalti em lance que Hugo salvou o Fla, mas o jogo seguiu quente e com protestos dos dois lados.

O Fluminense iniciou o segundo tempo tendo mais a bola para tentar os ataques, mas não criou grandes chances. Até tentou com Luiz Henrique e Yago Felipe, mas quem realmente marcou foi o Flamengo. Aos 11 minutos, Gabigol tabelou com Andreas Pereira e recebeu na área. O camisa 9 chutou, a bola desviou e foi para o gol. Samuel Xavier até tentou desviar, mas já havia passado da linha para a vibração do jogador, que não marcava pelo Brasileirão há cinco partidas.

Os treinadores resolveram iniciar as alterações. Do lado do Fluminense, Fernando Diniz tentou corrigir o problema da lateral-esquerda tirando Yago Felipe para a entrada de Caio Paulista, outro jogador improvisado no setor, além de sacar Wellington por Matheus Martins. No Flamengo, Paulo Sousa apostou em Pedro na vaga de Arrascaeta para dar novo gás ao ataque. Mais na reta final, Willian, Felipe Melo e John Kennedy foram acionados nos lugares de Arias, David Braz e Samuel Xavier. No Fla, Vitinho, Pablo, Isla e Lázaro também entraram, tirando Everton Ribeiro, Matheuzinho, Bruno Henrique e Gabigol.

Muito criticado pelas repetidas falhas nas últimas partidas, o goleiro Hugo Souza teve até o nome cantado pela torcida durante o clássico. Foram pelo menos três excelentes defesas para salvar o Flamengo de maiores problemas na partida. O Flu se lançava como podia, trocava passes, mas ameaçava pouco e o Fla ia se segurando para tentar voltar a vencer o clássico.

Os minutos finais foram do Fluminense com a bola no pé tentando infiltrar, o Flamengo se fechando e Hugo Souza impedindo qualquer mudança de placar. O clima foi quente também durante todo tempo. David Braz e Rodinei, ambos no banco de reservas, acabaram expulsos. No fim, vitória do Flamengo.