Ícone nos video games, Oba Oba Martins pode ficar desempregado

Contrato com clube chinês ainda não foi renovado

Julio César, Javier Zanetti, Dejan Stankovic, Luis Figo, Esteban Cambiasso, Álvaro Recoba, Adriano Imperador... A junção da constelação de craques de 2005/06 não só trouxe títulos à Inter de Milão, como também deixou gravado na memória de todo amante de futebol e video game um dos times mais icônicos do jogo "Winning Eleven".

Mas poucas coisas eram tão "apelonas" no game quanto usar esse mesmo esquadrão e ainda colocar no ataque Obafemi Martins.

Com sua velocidade e agilidade beirando o 99 no mundo virtual, Oba Oba mostrava também no real que não era diferente. Contratado em 2001 da pequena Reggiana para integrar o time sub-19 da Inter, o nigeriano subiu ao profissional logo no ano seguinte para não mais sair, ao menos até 2006, quando teve sua primeira transferência milionária da carreira.

Oba Oba Martins comemora gol marcado pelo Shanghai Shenhua, da China (Crédito: Getty)
Oba Oba Martins comemora gol marcado pelo Shanghai Shenhua, da China (Crédito: Getty)

Naquele ano, o Newcastle, da Inglaterra, abriu os cofres e gastou 14,4 milhões de libras (hoje, o equivalente a 64,3 milhões) para contratar Martins.

Ao todo, aliás, o atacante movimentou 38,12 milhões de libras (atualmente por volta de R$ 170 milhões) peregrinando por Wolfsburg (9,45 milhões de libras), Rubin Kazan (8,1 milhões), Birmingham (360 mil) e Seattle Sounders-EUA (2,7 milhões).

Após deixar os Estados Unidos, onde conquistou o título da Copa US Open, Oba Oba se transferiu para o Shanghai Shenhua e o ricaço futebol chinês. No clube asiático, o nigeriano virou ídolo e brilhou, marcando 15 gols e dando quatro assistências em 31 jogos logo na primeira temporada.

Na segunda, os números são, na média, ainda melhores: 13 tentos e outras quatro assistências em 21 partidas, com aproveitamento de mais de meio gol por partida, liderando o time da maior cidade da China rumo ao título da copa local, inclusive marcando nos dois duelos da decisão diante do rival Shanghai SIPG, de Hulk e Elkeson.

Agora, porém, aos 33 anos, Martins vê seu futuro no futebol como uma incógnita. Afinal, seu contrato se encerra no último dia deste ano e ele ainda não renovou com o clube chinês.

Oportunidade para mais um desafio no mundo da bola ou o fim da linha para a lenda do video game?

Fonte: Com informações da Espn
logomarca do portal meionorte..com