Início de gringos no Flamengo é marcado por euforia

O histórico, porém, também indica cautela

Ao se tornar o quinto reforço do atual elenco do Flamengo a marcar em uma estreia (além de Rever, Trauco, Guerrero e Diego), Berrío, que fez o segundo gol na vitória sobre o Grêmio, pela Primeira Liga, também repetiu uma tendência no clube: a de jogadores de outras nacionalidades recém-contratados que causam boa primeira impressão. O histórico, porém, também indica cautela, já que, de Guerrero a Mancuello, todos tiveram dificuldades até atingir uma sequência de sucesso.

Image title

Ao comentar a atuação de Berrío e do lateral Trauco, que concedeu sua quarta assistência, Zé Ricardo foi comedido:

- Ele (Berrío) não está na forma ideal e o entrosamento virá com o tempo. Para estreia, creio que tenha sido uma atuação constante— disse.

O começo arrasador de Trauco fez o técnico elevar o tom dos elogios

— Sua rápida adaptação chamou minha atenção. Alguns jogadores demandam um pouco mais de tempo, mas ele se entrosou rapidamente — observou Zé Ricardo, que destacou outro traço importante.

— Sua personalidade também impressionou, chegando preparado para assumir a posição — lembrou, sem descatar o entrosamento com o companheiro de seleção, Guerrero.

Fato é que o próprio centroavante peruano começou no Flamengo de forma arrasadora, virando tema de música no Maracanã. Mas sofreu com jejum de gols até que o time se acertasse no Brasileiro do ano passado. Por diversos momentos, contudo, foi alvo de cobrança da torcida e teve sua saída cogitada, mas conseguiu responder e hoje tem quatro gols em quatro jogos.

Mancuello, por sua vez, teve início animador durante o Estadual passado, mas conforme o tempo passou, perdeu espaço. Uma lesão prejudicou a parte física e outros atletas passaram na frente. No total, jogou 38 jogos na temporada 2016, com sete gols, quase sempre saindo como reserva.

Cuéllar viveu situação semelhante. Chegou para ser titular na proteção à defesa, mas viu Márcio Araújo tomar conta do pedaço já com Muricy Ramalho - e depois com Zé Ricardo. Durante 2016, foram 33 jogos, a maioria entrando no decorrer da partida.

A exceção que confirma a regra é o zagueiro Donatti, que tem apenas três jogos com a camisa do Flamengo desde o ano passado. O argentino fez lambança na estreia, se machucou e não conseguiu se firmar com a boa fase de Rafael Vaz e Réver, e a concorrência de Juan.

Fonte: Com informações do Jornal Extra
logomarca do portal meionorte..com