A notícia de que o Paris Saint-Germain não terá Neymar na temporada 2022/23, publicada na última terça-feira pelo jornal espanhol "El Pais", despertou a ambição do Milan.

O jornalista Rafael Reis informou em seu blog, no Uol,  que o atual campeão italiano considera que ter o  jogador mais caro da história no elenco iria proporcionar grandes ganhos técnicos ao time rossonero e também mandaria uma mensagem de "o gigante voltou" para o cenário do futebol mundial.

Mesmo sem ter condições financeiras de arcar com um reforço do astro brasileiro, a equipe de San Siro aposta na boa vontade do PSG para conseguir fechar o negócio.

Segundo reportagem do "El Pais", o clube francês está disposto a emprestar Neymar  e continuar pagando parte considerável do seu salário, já que o jogador não tem  demonstrado interesse em uma redução de ganhos para facilitar sua transferência.

Neymar é dono do segundo maior salário do futebol mundial e recebe do PSG anualmente 49 milhões de euros (R$ 268,5 milhões), isso sem contar bonificações e prêmios por objetivos alcançados.

Caso troque PSG pelo rubro-negro da Itália, Neymar seguirá os mesmos passos de Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho e Kaká. Todos eles se transferiram para o Milan depois de experiências desagradáveis em outros clubes da prateleira de cima do futebol europeu