Pela seleção, Neymar tenta superar críticas à mudança de clube

Tite tratou de sair logo em defesa de seu principal jogador.

Pode ser pura coincidência, mas não deixou de ser um sinal de alerta para quem teme que a transferência de Neymar para o Paris Saint-Germain faça mal ao futebol do craque. Logo na primeira partida dele pela seleção depois de deixar o Barcelona, o camisa 10 teve sua pior atuação desde que Tite assumiu a equipe. Para que esse medo não ganhe proporções astronômicas, é bom que ele recupere seu melhor futebol na partida de terça-feira, contra a Colômbia.

Tite tratou de sair logo em defesa de seu principal jogador e atribuiu à forte marcação equatoriana o rendimento abaixo do esperado de Neymar. Mas a verdade é que o cerco dos zagueiros está longe de ser uma novidade para ele.

Os números falam por si só: no jogo contra o Equador, ele teve seu pior aproveitamento nos passes, 80%, quando sua média anterior era de 88%. Nas finalizações, teve a pior pontaria: errou 60% dos chutes a gol, contra média de 33% da era pré-PSG. Não que isso afete seu prestígio: ontem, 35 mil manauaras trocaram 1kg de alimento não perecível para assistir a um treino aberto da seleção na Arena da Amazônia. Como esperado, Neymar foi o mais ovacionado.

Na atividade, a prioridade de Tite foi trabalhar a parte técnica. Alex Sandro, lateral-esquerdo do Juventus, foi a novidade no treino. Ele se juntou à seleção em Manaus para substituir Marcelo, suspenso. Jemerson não teve a mesma sorte: sua chegada atrasou por problemas de voo. Ele foi chamado para a vaga de Miranda.

 (Crédito: Lucas Figueiredo/CBF)
(Crédito: Lucas Figueiredo/CBF)


Fonte: Com informações do Jornal Extra
logomarca do portal meionorte..com