Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Acesse a versão para celular

"Se Senna não tivesse o melhor carro, não teria sido campeão"

Carlos Sainz, piloto da Toro Roso, disse o mesmo de Schumacher

Carlos Sainz | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

Foi só Valtteri Bottas assinar com a Mercedes que já começaram as apostas para saber quando será a primeira vitória do finlandês, que tem nove pódios na carreira em quatro anos na Williams, mas nunca subiu ao lugar mais alto do pódio. Afinal, o time alemão tem sido dominante nas últimas temporadas e, mesmo com a mudança de regras de 2017, não é esperada uma revolução nesse sentido.

Para Carlos Sainz, piloto da mediana Toro Rosso, contudo, esse tipo de expectativa é natural. Afinal, por toda a história da Fórmula 1 o piloto precisou de um excelente carro para vencer.

"Isso sempre existiu, seja na época de Ayrton Senna, Michael Schumacher ou Fernando Alonso. Se eles não tivessem tido o melhor carro, não poderiam ter ganho o Mundial. Isso nunca mudou", afirmou ao jornal espanhol El País.

Carlos Sainz (Crédito: Reprodução)
Carlos Sainz (Crédito: Reprodução)

Para o piloto, apesar disso, as disputas do passado eram mais emocionantes. "Antes mais pilotos lutavam pelo título. E, quando a Fórmula 1 tinha um campeonato mais monótono ou [companheiros de equipe] competiam apenas entre si, como Senna e Prost, o carro e a batalha entre eles eram espetaculares."

Um dos problemas identificados por Sainz na Fórmula 1 atual é o motor turbo V6 híbrido. "Para mim isso não ajudou, os motores híbridos ainda não me convencera. O barulho dos V8 e V10 era algo que atraía muita gente", acredita o espanhol que, por outro lado, se mostra mais otimista em relação às mudanças de regulamento desta temporada.

"Para mim, os passos que foram dados em termos de aerodinâmica e de pneus são positivos. Faltam muitas coisas a serem feitas, mas o caminho não é ruim."

Para 2017, os carros serão mais largos, assim como os pneus, que também serão mais aderentes e duráveis. A ideia é que o visual seja mais agressivo e os tempos de volta caiam em cerca de 5s por volta. Recentemente, a Federação Internacional de Automobilismo divulgou que a expectativa é de que os carros sejam 40km/h mais rápidos nas curvas devido às mudanças. Existe a preocupação, contudo, de que o novo pacote possa dificultar ainda mais as ultrapassagens por tornar os carros mais dependentes da aerodinâmica.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto