Sobreviventes brasileiros têm melhora; Alan Ruschel quer churrasco

Lateral brinca com médicos ao dizer que tem vontade de comer carne

Os quatro sobreviventes brasileiros do acidente com o avião da Chapecoense evoluíram nas últimas 24 horas, de acordo com os médicos que atuam no caso. O zagueiro Neto, único que continua dependendo de ventilação mecânica para respirar, é quem inspira mais cuidados. Consciente, o lateral Alan Ruschel brincou neste domingo e se ofereceu para fazer um churrasco na próxima sexta-feira.

Image title

O goleiro Jackson Follmann, que teve a perna direita amputada, continua evoluindo. Há atenção com a cicatrização de suas feridas. Já o jornalista Rafael Henzel, que apresenta um quadro de infecção pulmonar, agora respira sem ajuda de aparelhos. Os médicos identificaram a bactéria que o acometeu e iniciaram neste domingo um tratamento específico.

Ruschel foi informado sobre o acidente por familiares - dos quatro, é quem tem mais informações sobre o que aconteceu. Segundo o ortopedista Marcos André Sonagli, o lateral disse que estava com vontade de comer carne e se ofereceu para fazer um churrasco aos médicos. Ele, inclusive, disse que quer Follmann tocando viola, um dos hobbies do goleiro.

O arqueiro é quem apresenta melhores condições, por ora. Há expectativa, inclusive, de que ele possa deixar a UTI nesta semana.  Neto, por outro lado, é quem mais preocupa. O zagueiro foi o último a ser resgatado do local do acidente e tem uma pneumonia.

– O Neto está entubado. Inspira um cuidado pulmonar mais intenso – afirmou Sonagli.

O intensivista Edson Stakonski, médico da Chapecoense, evitou dar prazos para a evolução dos pacientes.

– Paciente que está na UTI está crítico. É muito dinâmico. Fazemos planos de 24 horas. A condição clínica deles é muito boa, mas a gente precisa ter parcimônia. Temos que vibrar com cada momento. Até amanhã ninguém sai da UTI. A evolução, pelo tamanho da catástrofe, nos surpreendeu – afirmou.

Fonte: Com informações do Globoesporte.com