Técnico do Palmeiras ameniza declaração de Felipe Melo sobre tapas

" Ele não vai dar tapa em ninguém", disse Eduardo

O técnico Eduardo Baptista amenizou nesta sexta-feira as declarações feitas pelo volante Felipe Melo em sua apresentação no Palmeiras, na terça-feira. O treinador afirmou que o atleta utilizou diversas "forças de expressão" durante a entrevista e que não cumprirá as promessas feitas à torcida, como "dar tapa na cara de uruguaio".


"O Felipe usou muita força de expressão. É lógico que ele não vai dar tapa nem bater em ninguém. Trabalhei com ele no começo da carreira, sei que treina como joga e joga como treina", disse Eduardo Baptista, que era o preparador físico no Flamengo vice-campeão da Copa do Brasil em 2003. À época, o volante estava com 19 anos.

"Ele sempre foi muito determinado. No vestiário é um cara muito simples e procura orientar os meninos. Ele tem uma atenção muito especial com os garotos. E nós temos vários jovens, principalmente atletas da base que estão nos auxiliando agora. Ele trará uma experiência muito grande em nível de Europa e Seleção Brasileira", acrescentou o técnico.

Eduardo Baptista escalou Felipe Melo como titular na equipe que enfrentará a Chapecoense, em amistoso neste sábado, na Arena Condá. Ele defende que o volante está comprometido em ajudar o Palmeiras. "Ter gana é bom. Ele usou uma força de expressão que talvez não tenha sido bem entendida. Mas de maneira nenhuma é um cara agressivo", disse.

Ao ser apresentado no Palmeiras, Felipe Melo não se furtou a dizer que "daria porrada" quando fosse necessário. Houve entre os torcedores o temor de que as declarações poderiam deixar o jogador "marcado" com a arbitragem. Mas, de acordo com Eduardo Baptista, o único problema que o atleta enfrentará com os juízes está ligado à adaptação ao estilo brasileiro.

"Ele só ficará marcado se fizer o que falou. Como foi força de expressão, não acredito nisso. Com 19 anos, ele tinha a mesma personalidade. Sempre se impôs pelo vigor físico, mas nunca foi desleal", afirmou. "Pode acontecer alguma situação por jogar como meia. O árbitro europeu é mais tolerante com jogadas de força e carrinho, mas ele é experiente para ter discernimento", concluiu o comandante.


Fonte: Terra
logomarca do portal meionorte..com