Zé Ricardo sob pressão, apesar da vaga na Copa do Brasil

O projeto é manter Zé Ricardo até o fim de seu mandato

A irritação de Zé Ricardo com as fotos e a expressão séria no desembarque do Flamengo não condiziam com um técnico classificado para a semifinal da Copa do Brasil. A dificuldade de fazer a milionária equipe rubro-negra ter uma sequência de apresentações convincentes voltou a deixar o comandante pressionado, mas sua saída é descartada.

Image title

O presidente Eduardo Bandeira de Mello já avisou que o projeto é manter Zé Ricardo até o fim de seu mandato, em dezembro de 2018. Voz única da diretoria à frente do futebol, do qual também é vice-presidente, o mandatário tenta garantir a blindagem para que o trabalho desenvolvido na pasta seja duradouro, e tem ajuda dos executivos Fred Luz e Rodrigo Caetano, que não comentam as críticas ao técnico.

No clube, porém, a paciência com o jovem e promissor treinador é escassa. A pressão para a demissão em caso de insucesso diante do Corinthians, domingo, pelo Campeonato Brasileiro, é tão grande quanto a diferença de pontos pela liderança — 12, no momento.

SEMIFINAL NA ILHA

Ao chegar ao Rio, Zé Ricardo entrou em um táxi com a certeza de que comandará a equipe no próximo jogo. Embora questionado pela torcida, a avaliação interna é de que as seis únicas derrotas em dez meses de trabalho não são suficientes para mudança de rumo, mesmo com a oscilação atual. A falta de nomes à altura no mercado também favorece.

No momento, apenas o desgaste e a desistência de Zé Ricardo podem tirá-lo do cargo. Além, é claro, da falta de títulos. As chances são maiores na Copa do Brasil. No Brasileiro, a meta já é voltar à Libertadores em 2018. A presença do técnico na próxima temporada é incerta, e depende que não só o presidente, como comissão técnica e jogadores apontem para uma perda de comando que não acontece. Pelo menos no campo. Fora dele, o perfil de Zé Ricardo, novo e adequado às filosofias da diretoria para o futebol, que preveem decisões conjuntas, é considerado ideal. Enquanto os resultados sustentarem, Zé Ricardo fica.

Pela semifinal da Copa do Brasil, o Flamengo definiu que o duelo contra o Botafogo será na Ilha do Urubu. Havia a possibilidade de que a partida fosse realizada no Maracanã, mas a diretoria considerou muito alto o custo para jogar no estádio.

As partidas de ida e volta serão realizadas nos dias 16 e 23 de agosto, ainda sem a ordem dos mandantes, que será definida por sorteio da CBF.

O último clássico entre os clubes no Luso-Brasileiro ocorreu em 16 de julho de 2016. O jogo marcou a estreia da então "Arena Botafogo" e terminou empatado por 3 a 3. Foram registrados alguns distúrbios do lado de fora do estádio.

Na base, o Flamengo perdeu ontem para o São Paulo por 3 a 1, na final da Taça BH sub-17.

Fonte: Com informações do Jornal Extra
logomarca do portal meionorte..com