5 empresas estrangeiras participam da licitação do Piauí Conectado

O Projeto Piauí Conectado terá um backbone Norte e Sul.

Cinco empresas de consórcios da China, Japão e Canadá pediram esclarecimentos para a Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc) do Governo do Estado para participarem da Licitação da Parceria Público-Privada (PPP) do Projeto Piauí Conectado, que prevê a implantação 5 mil quilômetros de fibra óptica, conexão de 11 macrorregiões do interior do Estado, com 96 cidades conectadas, representando 80% da população piauiense, de 3,2 milhões de habitantes.

O Projeto Piauí Conectado terá um backbone Norte e Sul, com capacidade de 64 gigabytes, 1.500 pontos de acesso, sendo que cada ponto terá 30 megabytes e investimentos em obras no valor de R$ 233, 032 milhões.

A licitação será aberta às 9h desta segunda-feira, no auditório do Secretaria Estadual de Administração e Previdência (SeadPrev), no Centro Administrativo, no bairro São Pedro, na zona Norte de Teresina.

Piauí Conectado (Crédito: Reprodução)
Piauí Conectado (Crédito: Reprodução)

A superintendente de Parcerias e Concessões do Governo do Estado, Viviane Moura, informou que apareceram cinco empresas pedindo esclarecimentos sobre o Edital de Licitação. Segundo ela, as empresas interessadas são de consórcios da China, Japão e Canadá.

“A expectativa é grande porque esse mercado de implantação de fibra óptica e de internet banda larga e um mercado muito competitivo, de muitas empresas boas. A gente deu oportunidade para que empresas de todo o mundo participasse do processo de licitação”, afirmou Viviane Moura.

Ela lembrou que o Edital de Licitação Parceria Público-Privada (PPP) Projeto Piauí Conectado teve prazo de 60 dias e foi divulgado internacionalmente para que um maior número de empresas tomasse conhecimento e possa participar.

Para Viviane Moura, o Projeto Piauí Conectado é muito importante para o desenvolvimento do Piauí porque a tecnologia é extremamente e necessária para o processo de crescimento.

“Hoje, a é tecnologia é importante para o desenvolvimento de qualquer empresa privada ou pública”, acrescentou Viviane Moura.

Com o advento da tecnologia, mais da metade dos brasileiros já está conectada à internet. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil ganhou 2,5 milhões de internautas entre 2012 e 2013, totalizando aproximadamente 86,7 milhões de usuários de internet com 10 anos ou mais.

Em 2013, as regiões Suldeste e Centro-Oeste tiveram proporções de acesso à internet superior à média nacional de 50%. O Norte com 38,6% e o nordeste com 37,8%, ficaram abaixo.

Segundo aponta o maior levantamento já realizado no país, o Estado do Piauí ocupa a penúltima colocação no ranking nacional da Inclusão Digital. A pesquisa indica que apenas 17,39% das residências do Estado dispõe de microcomputador com acesso a internet.

A importância de uma reflexão aprofundada em torno do desempenho do Piauí no ranking apresentado se amplifica ao se deparar com o fato de que os estados ocupantes das primeiras posições sejam justamente aqueles que ocupam as melhores colocações no Índice de Desenvolvimento Humano – IDH, sendo estes os que ocupam a liderança da inclusão digital no mundo.

Diversos estudos, incluindo o Mapa de Inclusão Digital no Brasil, observam que o acesso à banda larga é um dos fatores preponderantes para acelerar o desenvolvimento social e econômico de um país, trazendo melhoria na qualidade de vida, emprego de maior qualificação e incremento no Produto Interno Bruto (PIB).

“Diante dessa realidade, o objetivo buscado pelo Estado, através da implantação do presente projeto, é melhorar a qualidade dos serviços prestados aos servidores públicos e aos cidadãos piauienses com expansão e universalização do acesso à internet, com a redução dos custos operacionais e administrativos assim como com a promoção da inclusão social em todo o Estado. Para tal, o modelo estruturado possibilita desenhar estratégias que ampliem e interiorizem a prestação dos serviços integrados de telemática, adequando-se às necessidades das Secretarias Estaduais e dos demais Órgãos da Administração Pública Direta e Indireta, atualmente limitada a algumas localidades do Interior do Estado”, declarou Viviane Moura.

Fonte: Com informações do repórter Efrém Ribeiro, do Jornal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com