Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

À espera da indenização, família de Jean Charles sofre com a seca

À espera da indenização, família de Jean Charles sofre com a seca

Compartilhe

Quase dois anos e quatro meses ap?s a morte de Jean Charles de Menezes, assassinado quando tinha 27 anos pela pol?cia de Londres, na Inglaterra, os pais do rapaz ainda esperam por uma indeniza??o que pode ajudar a fam?lia a ter uma vida melhor.

O casal Matozinhos e Maria Otoni mora em uma pequena propriedade de aproximadamente 16 hectares, na zona rural da cidade de Gonzaga, no leste de Minas Gerais. Com pouco mais de 5 mil habitantes, o munic?pio se tornou conhecido por ser o local onde Jean Charles foi criado e enterrado, em 29 de julho de 2005. No cemit?rio da cidade, o t?mulo dele destoa dos demais pela impon?ncia. A sepultura, com quase 2 m de altura, custou R$ 14 mil, valor pago, segundo a fam?lia do rapaz, pelo governo ingl?s.

Matozinhos, 68 anos, conta que eles vivem da aposentadoria rural e de uma pequena cria??o com cinco cabe?as de gado que fazem a aragem do solo para planta??o.

"A indeniza??o ainda deve demorar, a gente sabe disso, mas nossa necessidade ? urgente. A situa??o aqui est? muito dif?cil. Com a seca perdi dois bois. Ningu?m mais quer mexer com planta??o e cultivo. A? o gado fica parado enquanto deveria estar trabalhando", diz.

"O Jean foi para o exterior justamente para nos ajudar, mas eles interromperam a vida dele. Por isso devem nos pagar, porque at? agora somos n?s quem estamos perdendo nessa hist?ria", reclama o pai.

Na sala da casa, um cartaz relembra a trag?dia que abalou a fam?lia e os pouco mais de 5 mil moradores da pequena Gonzaga. Amigos e parentes que moram na Inglaterra homenagearam o eletricista com uma foto dele e a frase: "Jean Charles de Menezes Tribute Festival".

Sobre a cabe?a de Jean, oito pequenos c?rculos, que segundo a fam?lia, representam os oito tiros que acertaram sua cabe?a e que foram disparados por policiais londrinos na esta??o do metr? de Stockwell.

Ao mostrar a foto, Maria, 62 anos, se emociona: "Nosso filho nos ajudou muito nos quatro anos em que viveu na Inglaterra. Foi com o dinheiro que ele mandava de l? que conseguimos reformar a nossa casa e eu pude fazer os tratamentos que precisava, porque sempre fui muito doente", recorda.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar