Adapi prorroga prazo de certificação contra aftosa até dia 30

A campanha preventiva, também realizada durante o mês de maio

A conclusão da certificação da segunda etapa da vacinação contra a febre aftosa, prevista para  quinta-feira (15), foi prorrogada até o dia 30 de dezembro. O novo prazo foi publicado pela Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), com o aval do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A campanha preventiva, também realizada durante o mês de maio e junho, busca imunizar cerca de 1,6 milhão de bovinos e bubalinos do território piauiense contra o vírus da aftosa.

Para os pecuaristas que perderam a etapa de vacinação, realizada durante o mês de novembro, a prorrogação da certificação dá uma nova oportunidade para esses criadores imunizarem seu rebanho. “O produtor que deixou de comprar a vacina e deseja vacinar seu rebanho, aquele que não recebeu a vacinação, deve procurar um técnico da Adapi, de qualquer um dos escritórios, e pedir uma liberação para compra da vacina junto ao comércio. O nosso profissional está autorizado a dar essa prescrição até o dia 30 de dezembro”, informa o diretor-geral da Adapi, Antônio Justino.

As lojas de produtos agropecuários só estão autorizadas a vender vacina contra febre aftosa durante a campanha de vacinação. Se por algum motivo o criador necessitar vacinar os animais fora deste prazo deve procura a Adapi para receber informações.

A entrega do relatório geral da segunda etapa de vacinação de 2016 de acordo com as instruções normativas do Ministério da Agricultura também foi prorrogada para o dia 15 de janeiro de 2017.

“No mês de novembro tivemos dificuldades devido a questão da seca, que vem afetando o Piauí e os outros estados do nordeste. Encontramos resistência por parte do criador por conta de ele achar que o gato está magro para a vacinação. Então nós temos trabalhado para convencê-los de que é importante mantermos os rebanhos imunizados e o estado livre da aftosa. Isso garante mais qualidade dos nossos produtos e melhores possibilidades de exportação”, explica Justino.

A certificação, feita pela Adapi, trabalha com dados fornecidos pelos criadores piauienses e lojas distribuidoras de produtos agropecuários. Todo pecuarista é registrado e acompanhado através de comprovantes e notas fiscais que alimentam o Sistema de Integração Agropecuária (Siapec).

No sistema é possível acompanhar a movimentação dos rebanhos piauienses e monitorar a imunização de seus animais contra o vírus da aftosa e outras doenças.

A meta de vacinação, segundo a Adapi é de que 95% dos bovinos e bubalinos do estado sejam vacinados. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento indica que pelo menos 90% dos animais sejam vacinados e o Piauí tem superado essa marca. “Na primeira etapa da vacinação do ano, ocorrida nos meses de maio e junho, o Piauí obteve o índice vacinal superior a 92%. No pós-campanha, os índices subiram para um patamar próximo a 96% do rebanho vacinado”, destacou o diretor da Adapi.
 

Fonte: Com informações do Portal do Governo
logomarca do portal meionorte..com