Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

THE: Aguapés se proliferam em período seco

Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí, esclarece que o fenômeno é causado pelo aumento de matéria orgânica

THE: Aguapés se proliferam em período seco
Aguapés estão ocupando grande parte do Rio Poti | José Alves Filho
Compartilhe

Um fenômeno que se repete todos os anos. Ao passar sobre o Rio Poti, já é possível ver um grande número de aguapés tomando quase todo o rio. O processo, chamado de eutrofização, ao mesmo tempo que causa espanto, provoca também a revolta de muitos que se comovem com a atual situação do rio.

Para a agente comunitária Gilsa Silva, que mora nas proximidades do rio, ver o Poti hoje nesta situação é de causar revolta. "Na época de minha avó, todos dependiam muito do rio e o utilizavam todos os dias.

Hoje nossa geração não consegue ver mais nem a cor da água. Isso é triste, pois no período sem água podíamos utilizar o recurso que está a nossa porta", comenta a agente.

Ao explicar a origem da situação, a coordenação de outorga, direito do uso da água, da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Piauí, esclarece que este fenômeno é causado pelo aumento de matéria orgânica acumulada, advinda de esgotos e galerias que desembocam no rio.

"Este é um fenômeno que não existe como conter e é agravado principalmente pela sujeira desembocada nos rios. Somente na capital já foi registrado que só existe 17% de esgotamento sanitário, fato que colabora ainda mais para estes altos índices de poluição", ressalta a coordenação.

De acordo com Demócrito Barreto, Superintendente de Recursos Hídricos da secretaria, o processo é recorrente na capital, no entanto está mais ameno este ano.

A única solução encontrada, portanto, para que este fenômeno continue a diminuir é a limpeza urbana. "A limpeza urbana é essencial, para tanto, devem ser eliminados os pontos de lançamento orgânico dentro do rio e o trabalho de limpeza deve ser melhor monitorado", aponta o superintendente.

Além do trabalho a ser realizado pelas instituições no sentido de diminuir esta proliferação, a população também deve colaborar com a preservação dos rios.

"Neste momento só nos resta esperar pelo período chuvoso, para que a água carregue estas plantas. Porém, enquanto isso, todos devem se conscientizar sobre a situação do Poti e enxergar que também podem estar contribuindo para este fenômeno", conclui Demócrito.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar