Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Alpinista morre e outro fica preso em paredão de cânion na Serra de SC

Socorro ao empresário Lucas de Zorzi demorou 6 horas e foi feito por PMs em helicóptero

Compartilhe

Um alpinista morreu e outro ficou preso a uma altura de 200 metros no domingo (11), após uma pedra deslizar do Cânion Espraiado, em Urubici, na Serra de Santa Catarina. O socorro demorou seis horas e foi feito por policiais militares com a ajuda do helicóptero Águia.

O empresário Lucas de Zorzi, de 39 anos, foi atingido na cabeça, ficou inconsciente e morreu durante o percurso que fazia de rapel. Com o acidente, o homem que estava com ele não conseguiu se mover do paredão e também precisou ser resgatado. Ele sofreu hematomas leves.

Um alpinista morreu e outro ficou preso no Canion

Segundo relato do sobrevivente, a pedra deslizou no momento em que ele e Lucas subiam o cânion, por volta das 10h. Após o acidente, o homem conseguiu área no celular e chamou por ajuda.

Como era uma região de difícil acesso, um dos cinco socorristas que participaram do resgate precisou descer do helicóptero por meio de uma corda. A equipe resgatou Lucas, que foi encaminhado ao Hospital Nossa Senhora do Prazeres, mas sem sinais vitais. Em seguida, a aeronave retornou ao local e socorreu o segundo alpinista.

Alpinista foi resgatado por helicóptero

Técnica

Conforme o Batalhão de Aviação da Polícia Militar, a operação foi "marcada pelo alto grau de dificuldade pelas peculiaridades do local". Os socorristas precisaram utilizar a técnica McGuire, que consiste no lançamento de um tripulante do helicóptero por meio de descida de rapel, amarração, imobilização das vítima e içamento por meio de cordas.

Esportista experiente

Lucas possuia experiencia em esportes radicaisDiretor de uma empresa de equipamentos para indústria madeireira, Lucas foi campeão Brasileiro de Wingsuit Artístico nos anos de 2015, 2016 e 2017, e recordista Sul e Latino Americano da modalidade. Ele também era instrutor do esporte que tem como fundamento o uso de um macacão com asas para voos de alta performance.

Apaixonado por esporte, possuía experiência em escalada em rocha esportiva e alta montanha. Lucas praticava ainda snowboard, paraquedismo e skydive. Ele deixa um filho e esposa.

Após a divulgação da morte do empresário, clube de Wingsuit em que Lucas era instrutor lamentou acidente. Em uma publicação nas redes sociais, a escola afirmou que Lucas era um dos melhores do esporte.

"E com grande pesar que comunicamos a toda comunidade a perda do nosso grande irma?o Lucas, um amigo incri?vel, pai e marido dedicado, que na qualidade de atleta estava entre os melhores do esporte! Voce? sempre estara? em nossas mentes e nossos corac?o?es. Descanse em paz nosso querido irma?o", dizia a nota publicada na noite de domingo.

Empresa emite comunicado

Ao comunicar a morte de Lucas, a Mill Indústria de Serras, localizada em Lages, também manifestou pesar pela morte do diretor da companhia. "O falecimento prematuro interrompe tragicamente uma trajetória marcada pelo espírito aventureiro, por vitórias e conquistas, deixando um grande legado de empreendedorismo e dedicação que servirão de exemplo para as futuras gerações", dizia o comunicado.

O velório de Lucas ocorrerá até a tarde desta segunda-feira (12), no Cemitério Parque da Saudade, em Lages.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar