Após ataques, ônibus voltam a circular em Natal nesta segunda

Serviço chegou a voltar parcialmente no último sábado

Após três dias completos de paralisação, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN) informou que, desde as 6h desta segunda-feira (23), a frota de ônibus na capital está voltando ao trabalho progressivamente. 


Os ônibus pararam de circular na última quinta-feira (19), após uma série de ataques a prédios públicos e a veículos de transportes urbanos. Os ataques são relacionados à transferência de 220 presos da penitenciária estadual de Alcaçuz para outras unidades do estado, ocorrida na última quarta-feira (18). 

Image title

No último sábado (21), o serviço de transporte de ônibus chegou a voltar parcialmente, com a tentativa de usar 30% da frota. No final da tarde, no entanto, houve nova paralisação.

De acordo com o diretor de comunicação do SSintro-RN, Harley Davidson, a desistência de regularizar a frota nas ruas foi provocada por um novo ataque ocorrido no bairro Felipe Camarão, onde a empresa Nossa Senhora da Conceição opera um terminal.

“Um homem quebrou o para-brisa do veículo com uma coronhada de arma calibre 12. Supomos que era um aviso para não circular. A Polícia Militar (PM) foi acionada e os veículos retirados de circulação”, contou. 

Voltando aos poucos

Neste domingo (22), os rodoviários e as empresas decidiram não sair às ruas. Nesta segunda, Davidson afirma que a volta foi motivada pela presença das Forças Armadas. “Hoje a gente consegue ver a presença deles nas ruas, estão dando apoio nos terminais”, explica. “A expectativa é retomar a frota completamente, queremos isso. Se não houver novos ataques podemos ter 100% dos veículos circulando."

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano do Rio Grande do Nortes (Seturn-RN) divulgou nota em que aguarda o retorno “paulatinamente” dos ônibus em Natal nesta segunda e justifica a suspensão do serviço. “Não há como disponibilizar a frota à população, pois o risco é iminente e os prejuízos incalculáveis. A preocupação não é pela depredação do patrimônio das empresas, mas, principalmente, para preservar a integridade física dos seus funcionários e clientes”, diz o texto.

A nota pede forças de segurança em tempo integral nas rotas de ônibus, terminais e garagens das empresas para que o serviço seja normalizado completamente. O Seturn também informa que vai solicitar compensação do governo para os dias em que os ônibus não circularam. "Precisamos urgentemente de compensação para fazer superar os enormes e insuportáveis prejuízos que tivemos com perda de patrimônio e falta de faturamento”.


Fonte: iG
logomarca do portal meionorte..com