Após ter estudos cancelados por namorar negro, jovem faz campanha

Com a campanha a jovem consguiu arrecadar R$ 32 mil

A americana Allie Dowdle, 18 anos, que teve os seus estudos cancelados pelos pais devido ela namorar um jovem negro, criou uma campanha no site "Go Found Me" chamada "Aos estudos de Allie — Diga não ao racismo" com o objetivo de bancar a faculdade.

Segundo a jovem, os pais resolveram parar de sustentá-la depois que ela começou a namorar Michael, um homem negro.

Allie Dowdle com o namorado Michael
Allie Dowdle com o namorado Michael Swift

A americana explica na descrição da campnha o que aconteceu. "Como eu tenho 18 anos, meus pais decidiram não mais apoiar meu futuro, tirando todos os meus recursos, incluindo minha mesada, meu carro, meu telefone e minha educação, me deixando sozinha para pagar a faculdade".

A jovem diz ainda que desde o começo do namoro os pais não a apoiaram enfatizando que quando mostrou a foto do namorado para eles, foi proibida de vê-lo novamente. "Meu pai não me deu opção: ele me disse que eu não tinha permissão para ver Michael novamente. Por quê? Estritamente por causa da cor da pele", relata.

"Eu não consegui compreender como alguém pode ser visto como inferior por causa da pele. Ainda não compreendo e nunca serei capaz disso", acrescenta. Mas os encontros continuaram, mesmo que secretamente.

O namorado da jovem, Michael Swift é jogador de futebol da Clemson University, em Clemson, no Estado americano da Carolina do Sul.

A meta da jovem com a campanha era arrecada US$ 10.000 (o equivalente a R$ 32 mil).  Mesmo após conseguir uma bolsa de estudos, ainda ficaria faltando essa quantia

— Estou tentando arranjar um emprego, mas meu pai faz de tudo para tornar o meu mundo difícil. Só não consegui um, ainda, porque eu não tenho um transporte consistente disponível..

Com a campanha Allie conseguiu arrecadar mais do que a quantia necessária para os seus estudos.

Michael Swift é jogador de futebol da Clemson University
Michael Swift é jogador de futebol da Clemson University


O pai da garota, Bill Dowdle, afirmou em entrevista ao jornal New York Daily News, que apesar de Michel não ser a sua "preferência", ele não se considera racista e enfatiza que reprovou o namoro porque a filha encontrava o namordo escondido. "Nunca foi uma questão sobre cor de pele", garante. Segundo ele, as regalias foram cortadas porque sua filha estava muito mimada e precisava sair para o mundo e crescer.

Mas, Allie foi duramente criticada, mesmo tendo conseguido o dinheiro com a campanha. Muitos internautas comentaram criticando a garota. 

"Está campanha é ofensiva. Mandar uma garota branca e com dinheiro para a faculdade, que não consegue um emprego porque os pais tomaram seu carro é absolutamente ridículo. Pegue um ônibus", escreveu um internauta 

"Como enviar uma mulher branca para a faculdade é lutar contra o racismo?", questionou outro

Um terceiro falou revoltado: "Por que outras pessoas têm que pagar por SUA mensalidade?" 

Teve até quem falasse em tom mais descontraído: "Seu namorado merece metade do dinheiro. Se não fosse por ele, você não teria conseguido".


Fonte: r7