Assis Carvalho afirma que terceirização é revogação da lei áurea

O deputado concedeu uma entrevista na Rádio Jornal Meio Norte.

Na manhã desta segunda-feira (03/04), o deputado federal Assis Carvalho (PT) concedeu uma entrevista ao programa Banca de Sapateiro, comandado pelo jornalista Arimatea Carvalho, na Rádio Jornal Meio Norte (90.3 FM), onde falou sobre as polêmicas da terceirização e da Reforma da Previdência propostas pelo Governo Federal.

Assis Carvalho foi o único dos deputados piauienses a votar contra a terceirização e ele não poupou críticas a proposta. “Essa proposta da terceirização praticamente é a revogação da lei áurea, da lei da escravidão. Eu fico triste quando alguém pega suas digitais e vota nisso. Você contratar um professor de uma empresa terceirizada e terceirizar as escolas, isso não existe, foi uma violência,  um crime e estamos lutando porque nós compreendemos que há uma disposição da constituição brasileira, o próprio senado está procurando uma alternativa intermediadora porque não podíamos imaginar que isso fosse acontecer em pleno século XXI”, declarou.

“Tem ainda o tal do trabalho temporário, todo mundo se prejudica mas as mulheres serão as mais prejudicadas diante da terceirização. Vou citar um exemplo: nós estamos lutando para duplicação da BR-343, vamos dizer que a gente consiga o dinheiro e vamos construir a duplicação até Piripiri, de repente uma empresa qualquer ganha a licitação, ela pode criar uma empresa de fundo de quintal para terceirizar e não ter problema nenhum com empregado. Terminou a obra, algum empregado morre, ele pega o CNPJ que ele fundou na empresa de fundo de quintal e extingue, e você não sabe nem a quem recorrer. Alguém dizer que uma lei dessa não é um crime é uma insensatez, é uma lei agressiva,  cruel e lamento que parlamentares do meu estado tenha colocado o dedo nessa vergonha”, criticou o deputado.

Sobre a Reforma da Previdência, Assis Carvalho afirmou que chega a ser pior do que a terceirização e coloca a população sem perspectiva de futuro. “Essa reforma não passa, eu estou na trincheira de guerra, sou membro da reforma e estou combatendo, tivemos varias audiências onde estamos discutindo tudo isso, eu estou viajando o Piauí exatamente para tentar inviabilizar esse absurdo. A reforma é um crime mais violento que a terceirização, é um desmonte da constituição de 88. O ex-presidente Lula e a ex-presidente Dilma conseguiram dar mais celeridade a essa inclusão das pessoas mais humildes e agora estão propondo uma idade mínima de 65 anos, mas tem que estar com 49 anos de contribuição, para alguém usar a idade mínima essa pessoa teria que começar o seu trabalho com 16 anos. Se o cidadão começa a trabalhar com 25 anos de forma ininterrupta ele vai se aposentar com 74 anos. Ora a media da mortalidade brasileira é de 75,5, mas o Maranhão é 70,3 como é que eu faço uma média criminosa como essa? Pior ainda nós temos a situação do trabalhador rural, esse sem sombra de duvidas é o mais sofrido, uma mulher do campo que fica de sol a sol, essa pessoa não tem perspectiva de futuro. Esse governo insensato que não teve voto, não tem coragem de olhar para as pessoas, eles estão percebendo que não vão conseguir passar esse crime e já começaram a usar o artificio da chantagem afirmando que se não tiver a Reforma não vai ter Bolsa Família, não vai ter Minha Casa Minha Vida, não vai ter Fies. Isso é um absurdo, não vamos deixar esse crime acontecer no parlamento federal”, disse.


Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com