Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Ambev apresenta Berrió, cerveja piauiense feita a partir do caju

A Berrió é uma cerveja leve, saborosa, refrescante e produzida com caju, o que impulsiona a agricultura familiar. O novo produto chega ao mercado em novembro deste ano.

Compartilhe

Em homenagem ao Dia do Piauí, a Ambev apresentou nesta segunda-feira (19), em um evento exclusivo para a imprensa, a cerveja Berrió, uma cerveja inspirada na identidade, valores culturais, tradições e costumes do povo piauiense.

A bebida, que leva na sua composição o caju produzido no estado, é leve e refrescante - ideal para os dias quentes do Piauí. De acordo com o gerente de marketing da cerveja, Leandro Thot, o projeto foi um grande desafio, visto que o caju não é um insumo tão tradicional no mercado cervejeiro.

Berrió leva na sua composição o caju produzido no estado

“Esse projeto começou na África, em Uganda, onde existia uma frente de trabalho da AMBEV em relação ao combate ao álcool ilegal, que é muito comum aqui no Brasil, especialmente em alguns estados e em Uganda foi o primeiro projeto do que a gente chama de cerveja regional com base em insumo local. Hoje a gente já tem três marcas regionais, a Nossa em Pernambuco, a Legítima no Ceará e a Magnífica no Maranhão, as três usam como ponto de partida a mandioca e aqui no Piauí a gente optou pelo caju porque é um processo de pesquisa e a escolha não é nossa, a escolha é do piauiense, ele que escolheu a matéria-prima que ele gostaria que a gente desenvolvesse”, afirmou.

Leandro afirmou ainda que a aceitação do piauiense com a cerveja na fase de testes foi praticamente unânime e que durante a fase de planejamento, foram realizadas centenas de entrevistas para entender a relação do piauiense com a cerveja.

Renan Carvalho, Gabriela Pires e Leandro Thot, porta-vozes da Berrió / Crédito: Divulgação

“Antes da pandemia a gente rodou o Piauí inteiro na fase de testes e concentramos em Parnaíba, Teresina e Picos, a aceitação foi muito boa. É um produto feito por piauienses, para piauienses que não tem ambição de ser comercializado em nenhum outro estado do país. A distribuição vai ser em todo o Piauí, a partir da última semana de novembro, com a primeira semana de dezembro mais abastecido”, disse.


O nome foi escolhido para lembrar uma expressão típica do Piauí - Berrió-BRÓ - período mais quente do ano no estado.  “Desde o início do nosso processo de pesquisa e criação de marca a gente entendeu que a relação do piauiense com o calor e com o sol é especial. O Brasil é um país tropical, o Nordeste é quente, mas aqui é diferente, talvez por Teresina não ser uma capital litorânea. Então acabaram dando um apelido nessa relação com o calor que é o BR-O-BRÓ, o que a gente fez foi só transformar essa expressão popular em uma palavra e essa palavra é uma caracterização do melhor do piauiense”, declarou Thot.

Cerveja foi lançada em evento no Dia do Piauí para a imprensa / Crédito: Mayara Dias

 “A Berrió é uma cerveja piauiense do campo ao copo. O caju é produzido por agricultores locais, e a produção da cerveja acontece na Cervejaria Teresina”, explica a piauiense Lanessa Vieira, supervisora de Agro da AMBEV e uma das responsáveis pela implantação do projeto. “A produção da nova cerveja movimenta a economia do estado e gera expectativas na cadeia produtiva do caju”, explica Lanessa. A AMBEV comprou na última colheita, 241,7 toneladas de caju, de produtores da agricultura familiar de cinco municípios - Monsenhor Hipólito, Francisco Santos, Campo Grande do Piauí, Canto do Buriti e Pio IX - por meio da Cooperativa Mista Agroindustrial de Francisco Santos, Cooperativa Mista Agroindustrial de Monsenhor Hipólito, e o Assentamento Nova Esperança de Pio IX.

Atualmente o projeto envolve 1.400 pessoas, entre produtores, colhedores, ajudantes de carregamento e descarregamento e transportadores. Ao todo são mais de 600 famílias impactadas positivamente pela produção local. A expectativa é chegar a 4 mil pessoas até 2025.

Berrió teve uma aceitação unânime durante a fase de testes pelos piauienses / Crédito: Divulgação

Cerveja é leve e refrescante, feita para amenizar o calor do Piauí / Crédito: Mayara Dias


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar