Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Blogueira diz que foi dopada e estuprada no Café de La Musique

Beach club informou que colabora com investigações. Já a Polícia Civil afirmou em coletiva de imprensa que o inquérito está em sigilo

Compartilhe
Google Whatsapp

A blogueira Mariana Ferrer  denunciou nas redes sociais que foi estuprada em um beach club de Jurerê Internacional, de Florianópolis. Na segunda-feira (20), a jovem publicou uma foto de uma calcinha ao lado de uma solicitação de exame pericial e um relato no qual diz que o crime ocorreu no Café de La Musique, em dezembro de 2018. Na postagem, ela criticou ainda a atuação da Polícia Civil no caso.

Segundo o G1, o beach club informou que colabora com as investigações. Já a Polícia Civil disse, em coletiva de imprensa na tarde desta terça (21), que o inquérito está em sigilo. Falou que o suspeito é de outro estado, que ainda não foi ouvido e que ele sabe que é investigado. Informou ainda que a vítima fez exames médicos e toxicológicos na época, e que testemunhas já foram ouvidas.

No post que Mariana publicou em seu Instagram, até a tarde dessa terça-feira havia mais de 200 mil curtidas e 17 mil comentários.

RELATO

Nas redes sociais, a jovem disse que o caso ocorreu em 15 de dezembro de 2018, e que foi dopada e estuprada por um desconhecido. "Minha virgindade foi roubada junto com o meu sonho".

Ela ainda escreveu que naquela data, as amigas que estavam com ela no estabelecimento foram embora sem prestar socorro a ela, mesmo depois de ter pedido apoio.

Ela descreveu ainda a reação da mãe quando conseguiu chegar em casa. "Ao ver o meu estado tirou minhas roupas, e se deparou com a pior cena da vida dela”, relatou. “Minhas roupas estavam cheias de sangue e forte odor de esperma”.

Mariana disse que teve que tomar coquetel de remédios para evitar doenças durante 30 dias. "Tenho pesadelos horríveis que me fazem dormir só depois do dia clarear, sentia dores fortes para urinar, dores no corpo, entre as coxas”.


Críticas à investigação

Na postagem, a jovem fez críticas à atuação da Polícia Civil no caso, dizendo que a instituição está "empenhada em proteger apenas o criminoso e o local do crime por se tratar de pessoas de ‘poder e dinheiro' (....). Depois que descobriram quem é o estuprador e qual o local do crime, o tratamento comigo e com minha família mudaram”.

Ela relatou ainda que os depoimentos prestados por ela foram deturpados, que os laudos foram manipulados e que o advogado dela no caso não tem tido acesso ao inquérito em andamento.

"Poderia ficar horas falando de tudo de errado que está acontecendo nas investigações. Mas Deus é tão incrível, tenho todas as provas para elucidar o crime, diz.

A Polícia Civil disse que não pode dar muitos detalhes do caso por causa do segredo de Justiça e que o beach club forneceu imagens do dia do ocorrido.

“Ainda temos 90 dias para concluir, prazo estabelecido pelo Poder Judiciário. (...) O que se pretende é concluir o mais breve possível”, disse Eliane Chaves, diretora da Polícia Civil da Grande Florianópolis.

A rede de clubes de praia divulgou uma nota repudiando qualquer violência. "O Cafe de La Musique repudia veementemente toda e qualquer violência, e ressalta ainda que tem colaborado e auxiliado, fornecendo tudo que lhe fora solicitado e que envolvem o suposto fato, tais como: vídeos, fotos e cartão de consumo. Tudo que dispúnhamos foi imediatamente entregue à polícia, assim que se tomou ciência da acusação".

"A casa está auxiliando nas investigações e preza para que se alcance o esclarecimento dos fatos da melhor forma e o mais cedo possível, tendo total confiança nas autoridades constituídas na apuração completa do caso", disse.

A mãe de Mariana acusou o Café de La Musique de negligência no caso. Ela comentou em uma publicação da empresa no Instagram, que tem recebido críticas nas redes. 

"Posso garantir que em nenhum momento minha filha teve o apoio de qualquer pessoa desse estabelecimento, muito pelo contrário. Não colaboraram com a Justiça até este momento. Quem sabe ainda consertem a série de erros que estão fazendo no inquérito", escreveu. Ela também disse que vai lutar com 'unhas e dentes' pelo endurecimento das penas para o crime de estupro. 


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×