Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Bosque da Memória Rio Parnaíba recebe 100 mudas

Na manhã de domingo (14), 100 mudas de árvores foram plantadas na Avenida Maranhão, sob a Ponte Nova. O espaço, que antes era ponto de descarte irregular de materiais poluentes, ganhou um novo significado

Compartilhe

Na Avenida Maranhão, sob a Ponte Nova, que liga os municípios de Teresina (PI) e Timon (MA), um coletivo de ONGs brasileiras que trabalha na proteção da Mata Atlântica prestou uma homenagem simbólica às vítimas da Covid-19 e aos profissionais que atuam na linha de frente da pandemia.

O espaço, que antes era ponto de descarte irregular de materiais poluentes, ganhou um novo significado e novas histórias. Na manhã de domingo (14), 100 mudas de árvores foram plantadas para formar o "Bosque da Memória Rio Parnaíba". 

O plantio em grande quantidade de um dos principais símbolos da vida, foi marcado pela presença de familiares de algumas das mais de 2.700 vítimas do coronavírus no Piauí.

FOTO: REAPI

Voluntária da ação, Maria do Carmo Pimentel homenageou os pais, Raimundo Nonato Gadêlha Rocha, carinhosamente conhecido como "Abelha", e Maria das Dôres Pimentel Rocha, que, em vida, tinha a vontade de plantar um ipê.

"Plantar uma árvore em memória deles, também de um tio, seria uma forma de fazer o bem ao mundo e ao meio ambiente. Eu acho que plantar um ipê é uma forma de acreditar que as abelhinhas representam meu pai, uma forma dele estar presente a todo momento e nos fortalecer em meio a essa falta, essa saudade que eles causam no dia a dia dos filhos", expressa.

Maria do Carmo avalia que futuramente as flores vão embelezar o meio e ressignificar a dor de uma perda imensurável. Tânia Martins, uma das organizadoras do Bosque e coordenadora da Rede Ambiental do Piauí (Reapi), ressalta que a homenagem foi além de um ato simples de preocupação ambiental e se transformou em uma ação que projeta esperança.

"Foi surpreendente a vontade de muitas famílias de deixar uma planta. Muitos disseram que vão voltar ao local para cuidar das árvores", conta Tânia.

A coordenadora da Reapi afirma que o apoio da população a um projeto que une a tentativa de ressignificar perdas e a recomposição da mata ciliar do Rio Parnaíba, plantou frutos para 2021, ano em que inicia a Década da ONU da Restauração de Ecossistemas.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar