mais

Brasileira visita 40 países após relacionamento abusivo

Silvinha Mantovani transformou a sua história em livro. “40 antes dos 40” será traduzido para o inglês e espanhol e publicado em diversos países com o objetivo de ajudar outras mulheres que possam estar passando pelo que ela passou.

Se para a maioria das pessoas, viajar significa conhecer e explorar novos mundos e culturas, para a escritora Silvinha Mantovani, viagem é sinônimo de liberdade. "Foi a maneira que eu encontrei para me reconectar comigo mesma. Além da descoberta de outras culturas, outras ‘bolhas’, que são muito importantes, as viagens foram uma forma de curar feridas, de me reconectar comigo mesma", diz a escritora que acaba de lançar o livro "40 antes dos 40!", pela Editora Feliz.

Silvinha Mantovani largou tudo para viver a aventura que lhe devolveria sua vida. Quatro anos depois, ela conta como foi essa experiência tão inspiradora, que lhe rendeu histórias, um livro, muitos amigos e a recuperação emocional de que precisava.

FOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoal

Com quase 36 anos e morando em Barcelona, a brasileira se descobriu presa em um relacionamento abusivo, cheio de ameaças e proibições. Com apenas a roupa do corpo e com a carreira destruída pelo ex-marido, Silvinha decidiu fugir. Na época, com uma poupança que economizara durante toda sua vida – uns 25 mil reais, ela usou esse dinheiro para ir para a Irlanda.

Foi quando percebeu que estava na hora de focar em um projeto que fosse só seu. Que lhe devolvesse sua autonomia, que lhe permitisse criar metas e que passasse bem longe de homens e do fantasma do relacionamento anterior. Um projeto que ela pudesse realizar antes dos quarenta anos. Daí nasceu o projeto de conhecer 40 países antes dos 40 anos. Da Irlanda, foi para o Marrocos, depois Turquia, República Checa, Emirados Árabes, Hungria, Áustria, Estados Unidos, Tailândia. Quatro meses antes de completar 40 anos, Silvinha chegou ao último país, a Índia. Ao final, ela ressalta que tudo valeu a pena. "Não tenha nada que me arrependa. Me arrependo de não ter viajado mais", diz.

Com as feridas cicatrizadas, Silvinha decidiu transformar sua vida em livro. Com uma vaquinha online, reuniu o investimento necessário. Em 2021, o livro “40 antes dos 40”, traduzido para o inglês e espanhol, será publicado em diversos países com o objetivo de ajudar outras mulheres que possam estar passando pelo que ela passou.

Segundo a escritora, as viagens renderam tantas histórias que foi até difícil escolher quais estariam no livro, dividido em 8 capítulos, todos com nomes de cidades e países. "Nessa pandemia creio ser uma forma bem diferente de viajar sem sair de casa", diz.

FOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoal

Em entrevista ao Jornal Meio Norte, Silvinha diz que tentou a separação por dois anos e meio. "Mas era impossível sair daquela relação. Por incrível que pareça, tal como eu descrevo no livro, tivemos uma conversa normal e decidimos nos separar amigavelmente. Dois dias após essa conversa, quando ele percebeu que eu realmente iria embora de casa minha vida se transformou em um inferno. Sai de casa praticamente com a roupa do corpo. Passei quase meses morando de favor na casa de amigos. Precisei da ajuda de muita gente pra conseguir atravessar aquele inferno. Mas como sempre digo: no fundo do meu poço tinha um passaporte, e esse passaporte salvou minha vida", explica,enfatizando que escolheu a Irlanda por questões burocráticas e de logística.  "A Irlanda nunca tinha entrado nem na minha lista de países que sonhava em conhecer. Mas naquele momento era um dos poucos países que me permitia trabalhar com o visto de estudante e também poderia aprender inglês", afirma.

Silvinha relata que em alguns países, o choque de realidade em relação às mulheres dói. "Por mais que vemos em livros, filmes, séries, jornais a realidade delas, é extremamente doloroso pensar que essas mulheres são tratadas como objeto e suas vidas não tem valor nenhum. Espero que um dia, em um futuro, que sou consciente não será próximo, essa triste realidade mude", diz, destacando que a proposta de "40 Antes dos 40" é levar o leitor a fazer uma viagem com a autora, é ajudar mulheres em situação de vulnerabilidade. "Mulheres que passam pelo que eu passei a saírem dessa situação tão difícil", explica.

"40 antes dos 40" está traduzido para o inglês e para o espanhol. "Era para ter sido lançado agora em abril de 2021, mas a pandemia adiou um pouco os planos. Será lançado na forma física e também em digital", diz.

 

Índia foi um divisor de águas

Depois do contato com diversas culturas, Silvinha Mantovani conta ter voltado em vários países. Hoje já são 59 países e mais de 350 viagens, na verdade. "Todos eles [os países] foram importantes para mim, mas a Índia foi um divisor de águas na minha vida. Não só por ter sido o país número 40, mas porque foi uma viagem muito difícil, cheia de perrengues diários, mas cheia de bendições também. Foi realmente mágico. Tanto que voltei para lá um ano depois. Eu gostaria de morar lá uma época da minha vida", relata.

FOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoal

Durante seu trajeto, Silvinha diz ter passado por muitas dificuldades em algumas viagens e em alguns momentos chegou a temer por sua vida. Mas no final, tudo deu certo. Hoje, com a experiência e o conhecimento adquiridos, Silvinha garante que voltaria em todos os países. "Amei cada lugar que visitei. Minhas viagens, às vezes, são pouco comuns. Gosto do diferente", explica.

Atualmente, a escritora reside em Barcelona, passa temporadas no Brasil com a família e diz que neste ano, com a pandemia, fez algumas mudanças de planos.

Sobre suas viagens pelo mundo, Silvinha diz ter experimentado diversos sabores. "Várias vezes comi cobra, escorpião, barata, larva etc. Não tenho frescura quanto a comida. Mas você pode acreditar que nunca comi Cuscuz?! Poderia fazer aqui no Paraná, de onde sou, mas estou esperando para provar essa iguaria na fonte. Quem sabe um dia o Lucas Celebridade, o João Cláudio Moreno, a Rainha Matos, ou até mesmo o Whindersson Nunes não me convidam para comer essa iguaria nordestina. Sonhar é gratis, né?", sugere a escritora.

FOTO: Arquivo pessoalFOTO: Arquivo pessoal

Silvinha Mantovani tem 41 anos, é formada em Direito e já viajou para mais de 50 países e realizou mais de 300 viagens. Começou a trabalhar aos 12 anos para ajudar a família e manter-se longe do clima hostil que era morar com um pai alcoólatra e violento. Deixou o Brasil em 2006 para cursar MBA fora do país e nunca mais voltou a morar no Brasil. Hoje trabalha como conferencista e faz da sua bagagem seu lar. (I.C.)


Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail