Câmera flagra cuidadora jogando desodorante em rosto de idosa

Família de Betty Boylan pagava quase R$ 4 mil reais por mês

Uma câmera escondida flagrou cuidadoras maltratando uma senhora com demência que ficava em uma casa de repouso privada na cidade de Birmingham, na Inglaterra. A família de Betty Boylan, 77 anos, conta que instalou o equipamento depois de encontrar hematomas na idosa e, assim, suspeitar de abuso.


As suspeitas da família acabaram sendo confirmadas poucos dias depois da instalação de uma câmera em uma televisão inutilizada. Os familiares de Betty conseguiram assistir ao abuso sofrido pela senhora e, então, tomar as providências necessárias. Em um dos vídeos capturados, é possível ver a cuidadora Bina Begum, de 49 anos, levantando a idosa pela cabeça e depois a jogando de volta na cadeira.

Em outra filmagem, duas cuidadoras estão com Betty e uma delas joga desodorante no rosto da paciente, enquanto ela, que não consegue mais falar, faz sons em protesto. A família estava pagando mil libras (quase quatro mil reais) à instituição para cuidar da idosa.

Bina Begum admitiu ter maltratado e negligenciado a senhora, havendo passado por julgamento. Ela não foi presa, mas terá que cumprir 12 meses de serviço comunitário, 40 horas de trabalho voluntário, além de pagar uma multa de 240 libras (quase R$ 1.000 reais). A família da vítima ficou inconformada com a sentença.

Em sua defesa, Begum disse aceitar que suas ações foram “um descuido, mas não intencionais ou deliberadas”. A advogada disse que a cuidadora se arrependia profundamente.  “Isso custou a ela sua carreira. Essa atitude foi completamente fora do comum, manchou seu bom caráter e causou enorme perturbação”, defendeu.

Segundo o tabloide britânico "The Sun", Betty agora vive com sua filha, Bernadette, e o cunhado, Nigel, que foi o responsável pela instalação da câmera secreta. “Nós mencionamos os roxos e a administração nos dispensou sem dar explicações. Então, comprei a câmera e escondi em uma TV. Em quatro dias tínhamos as filmagens”, contou.

“O veredicto foi uma desgraça. Ela deveria ter sido presa. Isso teria servido de mensagem para outros cuidadores que tratam as pessoas dessa forma”, disse Nigel, desolado. “Eu fico enojado pelo que a cuidadora fez. Mas, ao mesmo tempo, sinto pena dela porque terá que viver com isso para o resto de sua vida”.

A Diretora de Qualidade da casa de repouso, Vivienne Birch, garantiu que as funcionárias envolvidas no abuso já foram demitidas. “As atitudes dessas pessoas são inaceitáveis”, disse. E completou: “nós temos orgulho de nossos funcionários e não toleramos esse tipo de comportamento”.


Fonte: iG
logomarca do portal meionorte..com