A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, desembarcou em Taipé na manhã desta terça-feira (2), marcando uma demonstração significativa de apoio a Taiwan, apesar das ameaças de retaliação da China pela visita.

Por conta da visita, o governo chinês disse que aviões de guerra de Pequim sobrevoaram a linha que divide o Estreito de Taiwan - o que Taipé negou - e monitoraram o trajeto do voo, que saiu da Malásia, a primeira visita de Pelosi na viagem que faz à Ásia.  O Ministério das Relações Exteriores da China alertou sobre o “grave impacto político” da visita.

Houve pelo menos duas respostas do governo chinês a viagem de Nancy para Taiwan : uma do Ministério dos Negócios Estrangeiros e outra do Ministério da Defesa.

A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, desembarcou nesta terça (2) em Taiwan — Foto: Taiwan Ministry of Foreign Affairs via AP A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, desembarcou nesta terça (2) em Taiwan — Foto: Taiwan Ministry of Foreign Affairs via AP 

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da China disse que a vista da americana é "uma violação severa do princípio de Uma Só China, infringe severamente a soberania e a integridade territorial da China, prejudica severamente a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan, e emite um sinal severamente errado às forças secessionistas da 'independência de Taiwan'".

Já o Ministério da Defesa chinês disse que colocou suas Forças Armadas em alerta e que lançará "operações militares com alvos específicos". De acordo com a agência de notícias Reuters, essas operações serão exercícios que incluirão viagens aéreas e marítimas conjuntas no norte, sudoeste e sudeste de Taiwan, disparos reais de longo alcance no Estreito de Taiwan e lançamentos de mísseis no mar a leste de Taiwan, disse o comando.

A pasta afirmou ainda que a visita terá um "impacto severo na base política das relações China-EUA.

Pelosi chegou a Taiwan por volta das 22h30 no horário local (11h30 de Brasília). Na manhã de quarta-feira (3), ela se reunirá com o governo da ilha e visitará o Parlamento local.  

Com a visita, ela se tornou a primeira representante do alto escalão do governo norte-americano a visitar Taiwan desde 1997.

Nancy Pelosi em reunião com premiê de Singapura, Lee Hsien Loong na segunda-feira (1º) Foto:  Ministry of Communications and Information, Singapore/Anadolu Agency via Getty Images Nancy Pelosi em reunião com premiê de Singapura, Lee Hsien Loong na segunda-feira (1º) Foto:  Ministry of Communications and Information, Singapore/Anadolu Agency via Getty Images 

“A visita de nossa delegação do Congresso a Taiwan honra o compromisso inabalável dos Estados Unidos em apoiar a vibrante democracia de Taiwan”, disse Pelosi em comunicado logo após o desembarque.

Ela acrescentou que a visita de sua delegação no Congresso, que inclui uma pernoite, está completamente alinhada com a política de longa data dos EUA em Taiwan.

“Nossa visita de forma alguma contradiz a política de longa data dos Estados Unidos, guiada pela Lei de Relações de Taiwan de 1979, os três comunicados conjuntos EUA-China e as Seis Garantias.”

Presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi. / 29/07/2022 REUTERS/Jonathan Ernst Presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi. / 29/07/2022 REUTERS/Jonathan Ernst 

O voo foi o mais acompanhado do dia no site de rastreamento aéreo Flightradar24, por mais de 100 mil pessoas O avião deixou a capital malaia de Kuala Lumpur às 04h42, no horário de Brasília, e voou para o leste em uma rota que contornava o Mar da China Meridional. Fontes haviam indicado que Pelosi era esperada na capital taiwanesa de Taipé nesta terça-feira (2).

Desde a semana passada, o governo chinês vem fazendo ameaças aos Estados Unidos caso a presidente da Câmara fosse à Taiwan, que Pequim considera parte de seu território e, portanto, entende a visita como uma provocação.

O Ministério das Relações Exteriores chinês afirmou que os EUA “pagariam o preço” se Pelosi fosse a Taiwan. "Os EUA assumirão a responsabilidade e pagarão o preço por minar os interesses de segurança soberana da China — disse a porta-voz da pasta, Hua Chunying.

Singapura

Pelosi chegou a Singapura nesta segunda-feira (1º) para a primeira parada oficial da turnê pela Ásia, onde se encontrou com o presidente do país, o primeiro-ministro e outros altos funcionários.

Nesta terça-feira (2), a mídia estatal da Malásia, Bernama, confirmou que Pelosi e uma delegação do Congresso estava no país para se encontrar com o primeiro-ministro e o presidente do parlamento.

O itinerário da delegação ainda deve incluir escalas na Coreia do Sul e no Japão, mas nenhuma menção foi feita a uma visita a Taiwan oficialmente.

A autoridade dos EUA acrescentou que funcionários do Departamento de Defesa estão trabalhando 24 horas por dia para monitorar qualquer movimento chinês na região e garantir um plano para mantê-la segura.

Durante um briefing regular do Ministério das Relações Exteriores nesta segunda-feira (1º), a China alertou contra o “grave impacto político” da visita planejada de Pelosi à ilha autônoma que a China reivindica como parte de seu território e reiterou que seus militares “não ficarão de braços cruzados” se Pequim sente que sua “soberania e integridade territorial” está sendo ameaçada.