Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Com falha, avião nos EUA é obrigado a pousar e assusta passageiros

De acordo com ex-piloto, comandante agiu corretamente: procedimento conhecido como "descida controlada" leva a aeronave a uma altitude onde é possível respirar sem problemas.

Compartilhe
Google Whatsapp

Um Boeing 767 da Delta precisou descer rapidamente na quarta-feira (18) após um problema na pressurização da cabine, relatou a imprensa dos Estados Unidos. Apesar de passageiros relatarem medo – um deles disse que enviou mensagens a familiares –, a rápida descida foi um procedimento correto na aviação. As informações são do G1.

Uma cabine de avião é pressurizada para que seja possível respirar dentro, já que a altitude é alta, tornando o ar muito rarefeito. A pressurização é mantida por meio de dispositivos, sensores de pressão e válvulas reguladoras. Conforme a aeronave vai subindo, mais pressão é necessária para que a atmosfera dentro da cabine seja mantida o mais similar possível com as condições encontradas no solo.

Casos de despressurização em aeronaves são incomuns e podem ocorrer em consequência de um vazamento em uma janela ou porta, o que faz com que a aeronave tenha dificuldades em manter a sua atmosfera artificial. Quando isso acontece, a oferta de oxigênio dentro do avião cai e pode causar hipóxia nos passageiros - diminuição de ar por metro cúbico no corpo humano.

Reprodução/Twitter

É para isso que servem as máscaras de oxigênio que caem automaticamente sobre os assentos e que os passageiros precisam colocar sobre o nariz e a boca antes de auxiliar crianças ou pessoas com dificuldade. É para compensar a redução do oxigênio na cabine.

No caso do voo 2353 da Delta, que liga Atlanta a Fort Lauderdale (Flórida), as máscaras caíram assim que o problema foi percebido. Aí, os pilotos desceram oito quilômetros em cerca de oito minutos até chegar a uma altitude baixa na qual seria possível respirar tranquilamente. Em seguida, o avião desviou a rota e pousou no aeroporto de Tampa, também na Flórida.



O ex-piloto Ronaldo Jenkins explicou ao G1 que o piloto adotou a manobra correta para esse tipo de situação. "Não é exatamente um procedimento normal – é algo anormal para atender a uma emergência", afirmou.

"É uma descida controlada, comandada pelo piloto tendo em vista a necessidade de atingir a altitude de 14 mil pés – onde já há uma maior demanda de oxigênio na atmosfera", explicou Jenkins.




Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar