Conta de luz terá cobrança extra até novembro, revela Aneel

Isso ocorre pelos baixos níveis dos reservatórios das hidrelétricas

Os baixos níveis dos reservatórios das hidrelétricas do Brasil deverão resultar na manutenção até novembro da bandeira tarifária vermelha nas contas de luz, que eleva custos para os consumidores, disse nesta quarta-feira (17) o diretor-geral da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), Romeu Rufino.

A bandeira vermelha já está em vigor desde abril, devido a chuvas abaixo da média neste ano que não recuperaram o nível dos reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de energia no Brasil. O objetivo da bandeira tarifária é sinalizar o custo real da energia e incentivar o consumo consciente, segundo a Aneel.


A cobrança extra em vigor atualmente pelo acionamento da bandeira vermelha sobre as contas de luz prevê a cobrança adicional de R$ 3 a cada 100 kwh consumidos.

O Sudeste, onde estão os maiores reservatórios, deve chegar ao final do período seco com cerca de 20% da capacidade nos lagos das usinas, enquanto o Nordeste poderá chegar em novembro com cerca de 10%, disse o diretor-geral do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), Luiz Eduardo Barata.

A represa de Sobradinho, maior do Nordeste, poderá inclusive chegar a novembro com o reservatório zerado, adicionou Barata, ao participar de evento do setor no Rio de Janeiro. Ele, no entanto, descartou que haja risco de racionamento no País. 

— Não temos risco de desabastecimento, mas o de ficar com uma conta muito alta é grande. 

Barata lembra que parte do custo maior da produção de energia é repassada imediatamente ao consumidor através do mecanismo das bandeiras tarifárias, mas parte pode ficar oculta e ser transmitida apenas na época da revisão tarifária, no ano seguinte.

— Não sou contra, ao contrário, tenho admiração pelas térmicas. Se o lado benéfico delas é por serem presumíveis, gerenciáveis, o fato de termos controle sobre o combustível, por outro lado há o custo. Vamos ao longo do período seco precisar das térmicas.

Fonte: r7