O Conselho Regional de Medicina do Estado do Piauí (CRM-PI) lamentou a morte do médico teresinense Bruno Raphael Bastos Coelho, de 32 anos, que morreu na madrugada desta sexta-feira (11), após cair do terceiro andar de um prédio residencial no bairro da Barra, em Salvador, para escapar de um incêndio. 

De acordo com o CRM-PI,  o médico se graduou pela Unifacid em 2018 e chegou a atuar no Piauí pelo Programa Mais Médicos. Em Salvador, ele fazia residência médica em Pediatria. "CRM-PI lamenta o falecimento do médico natural de Teresina Bruno Raphael Bastos Coelho, de 32 anos, na madrugada desta sexta-feira (11/02), em Salvador, Bahia, após trágico incêndio no prédio onde residia. À família e amigos, nosso pesar e solidariedade!💐💐”, diz a nota de pesar divulgada pelo conselho. 






Ver essa foto no Instagram










Uma publicação compartilhada por CRM Piauí (@crmpiaui)

O médico também já foi servidor da prefeitura do município de Monsenhor Gil, distante 60 km de Teresina. Nas redes sociais, a gestão lamentou o falecimento precoce e tráfico de Bruno. 

“O Prefeito João Luiz Carvalho da Silva e Evandro Leão Abreu, em nome do povo monsenhorgilsense, elevam seus votos sinceros de pesar aos familiares de  Bruno Raphael Bastos Coelho. Que Deus possa confortar seus familiares, dando a paz necessária para enfrentar essa perda”, diz o comunicado. 






Ver essa foto no Instagram










Uma publicação compartilhada por Monsenhor Gil (@prefeiturademonsenhorgil)

O caso

O edifício onde ocorreu o incêndio fica localizado na Rua Presidente Kennedy. As chamas iniciaram por volta das 2h30, no segundo andar, e rapidamente se alastraram para os pavimentos superiores, até terem sido controladas pelo Corpo de Bombeiros.

Segundo testemunhas, Bruno dormia no terceiro andar quando o incêndio atingiu o prédio e não percebeu o surgimento do fogo. Ele foi acordado por vizinhos e, no desespero para escapar, tentou sair do apartamento por uma janela e caiu na área da garagem do edifício.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, outras duas pessoas ficaram feridas. Elas foram levadas para o Hospital Português, que também fica na Barra. Não há informações se elas estavam no imóvel que pegou fogo ou em outros apartamentos, nem detalhes sobre o estado de saúde delas.

CRM-PI lamenta morte de médico teresinense após incêndio em prédio na Bahia (Foto: Montagem/ Meio Norte)CRM-PI lamenta morte de médico teresinense após incêndio em prédio na Bahia (Foto: Montagem/ Meio Norte)

O delegado responsável pelas investigações do caso, Pedro Andrade, explicou que incêndio pode ter começado após um curto-circuito em um aparelho de ar-condicionado, o que será confirmado somente após a perícia. O delegado acrescentou que uma terceira pessoa ficou ferida, a síndica do prédio, que teve um problema no pé durante a correria.

Médico acordou assustado e tentou pular para outro apartamento

Andrade reiterou ainda que, segundo as apurações iniciais, o médico acordou assustado com o incêndio no andar inferior. Com os gritos dos vizinhos, o barulho e a fumaça que invadiu o imóvel onde ele morava, Bruno tentou sair pela janela, trajando cueca e enrolado em um lençol. 

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) realizou vistoria no apartamento atingido pelo incêndio. Segundo o laudo técnico do órgão, não houve danos na estrutura do prédio. O caso será investigado pela 14ª Delegacia Territorial, no bairro da Barra.

O delegado lamentou a fatalidade e salientou a necessidade de tentar manter o controle emocional em momentos de pânico para não agravar ainda mais situações desse tipo. “É preciso a todo custo tentar controlar o emocional, procurar o equilíbrio e ver o melhor caminho. Não adianta precipitações. Cada ser humano reage à sua própria maneira. Uns se precipitam, outro são mais cautelosos. Mas é necessário que as pessoas se conscientizem [em situações como essa]”, comentou.