Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Alguém tem de perder para preço da energia cair no país, diz Aneel

Diretor defende decisão de cortar a remuneração de concessionárias. Plano do governo prevê redução de 16,2% a 28% na conta de luz

Compartilhe

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hübner, disse nesta quarta-feira (14) que o governo não tem como reduzir a conta de luz no país ?se alguém não perder.?

Hübner se refere às geradoras (usinas hidrelétricas e térmicas), transmissoras e distribuidoras cujas concessões vencem entre 2015 e 2017, alvo do plano de barateamento da energia do governo.

O projeto prevê a renovação dessas concessões por até 30 anos, desde que as empresas aceitem novas condições impostas pelo governo, entre elas o corte, de até 70%, na remuneração que recebem pela prestação do serviço.

?Não tem como reduzir a conta de energia no Brasil se alguém não perder. Não tem mágica. Não consigo manter o ganho das empresas e ao mesmo tempo reduzir o custo da energia?, disse Hübner, durante audiência no Senado que debate a media provisória 579, que permite a renovação das concessões.

Nas últimas semanas, governo e concessionárias travam um embate por conta dos valores de remuneração e de indenização oferecidos dentro do plano. Algumas empresas ameaçam não aceitar as condições para aderir ao plano. Neste caso, elas permanecem à frente dos empreendimentos até o fim das concessões, recebendo a mesma remuneração de hoje, mais alta.

Hübner disse que a remuneração recebida atualmente por parte dessas empresas ?é muito alta? e considerou natural que elas briguem para manter seus rendimentos. Segundo o diretor da Aneel, porém, as empresas ?terão que se readaptar? às novas condições definidas pelo governo para o setor de energia.

Redução da conta de luz

O plano do governo prevê redução no custo da energia entre 16,2% e 28% a partir do ano que vem. Para isso, foram adotadas duas medidas.

A primeira é a renovação, por até 30 anos, das concessões de geração, transmissão e distribuição que vencem entre 2015 e 2017. Em troca disso, as empresas têm que aceitar um corte, de até 70%, na remuneração pelo serviço prestado por elas.

A outra parte virá da eliminação, da conta de luz, de dois dos encargos setoriais incidentes: a Conta de Consumo de Combustíveis (CCC) e a Reserva Geral de Reversão (RGR). Já a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) será reduzida a 25% de seu valor atual, e assume o custeio de programas contidos nos outros dois.

Os concessionários enquadrados no plano dizem que a remuneração é baixa. Eles também questionam os R$ 20 bilhões oferecidos pelo governo em indenizações às empresas por conta de investimentos feitos nos últimos anos e que não terão tempo de ser amortizados (pagos via tarifa).


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar