Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

BNDES divulga lista com os 50 maiores clientes do banco

Banco criou página para organizar informações que já estavam disponíveis, mas de forma fragmentada e de difícil acesso.

BNDES divulga lista com os 50 maiores clientes do banco
Ferramenta mostra operações com clientes nos últimos 15 anos | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta sexta-feira (18) a lista dos seus 50 maiores clientes e todas as operações com eles realizadas nos últimos 15 anos.

De acordo com o banco, os dados já estavam no site, mas as informações estavam fragmentadas em diversas páginas, separadas por linhas de financiamento, disponíveis de uma "maneira difícil para a maioria das pessoas". Agora os dados estão concentrados em um único link.

Criado durante o governo de Getúlio Vargas, em 1952, o banco estatal tem como objetivo financiar o desenvolvimento da economia, e historicamente tem oferecido empréstimos de longo prazo e taxas de juros mais favoráveis tanto para empresas como para governos estaduais e municipais. O BNDES gere recursos públicos e tem o Tesouro Nacional como seu acionista.

Desde 2004, figuram entre os cinco maiores clientes do banco: Petrobras, Embraer, Norte Energia, Vale e a construtura Odebrecht, envolvida em escândalos de corrupção na Operação Lava Jato.

De acordo com os dados divulgados pelo BNDES, a construtura fechou empréstimos no valor de R$ 18 bilhões nos últimos 15 anos. O maior tomador de recursos é a Petrobras: 62,429 bilhões desde 2004.

Segundo o BNDES, o objetivo da mudança é "tornar a navegação mais amigável e acessível", conferir mais transparência e facilitar ao público entendimento sobre as operações e investimentos do banco.

"A disponibilização da lista, com acesso a um grande número de detalhes de cada operação, é parte do esforço de transparência que o Banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre", informou o banco por meio de nota divulgada nesta sexta.

Cinco maiores tomadores de recursos do banco nos últimos três anos (2016-2018):

  • Embraer SA
  • Xingu Rio Transmissora de Energia
  • Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul
  • Fibria Celulose SA
  • Belo Monte Transmissora de Energia SA

De acordo com as últimas estimativas divulgadas pelo banco, o BNDES deve fechar 2018 com o menor volume de empréstimos dos últimos 10 anos, com um total de cerca de R$ 71 bilhões em desemboslos, o que representa 0,99% ao Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O valor fica pouco acima do montante contratado no ano passado, que somou R$ 70,8 bilhões, mas menor que o percentual em relação ao PIB, que foi de 1,08% em 2017.

Investimentos no exterior

O banco tarmbém facilitou acesso direto a todos os contratos de exportação de bens e serviços brasileiros de engenharia para projetos em outros países.

Foi disponibilizado um link que permite acessar, na íntegra, os contratos assinados entre o BNDES, o país importador e a empresa brasileira exportadora de bens e serviços de engenharia.

Estão disponíveis os contratos de projetos na Argentina, Paraguai, Peru e Venezuela, assim como em Honduras, Equador, Costa Rica, Guatemala, México, República Dominicana e Cuba, além de Angola, Gana e Moçambique.

'Caixa-preta'

Durante a campanha à Presidência da República, o presidente Jair Bolsonaro, afirmou diversas vezes em discursos e publicações em redes sociais que o BNDES é uma "caixa-preta" e afirmou que daria mais transparência às operações do banco.

Ele também criticou empréstimos do banco à Venezuela e disse que o Brasil, por meio do banco, "patrocinava o socialismo". Depois de eleito, continuo falando em dar mais transparência às operações.

Na segunda semana de mandato, Bolsonaro deu posse aos novos presidentes do BNDES, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

Em discurso na cerimônia de posse, no Palácio do Planal, o novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, disse que é preciso continuar ajustando o balanço do banco. Disse também que é necessário repensar a atuação do banco, de modo que a instituição dependa menos de recursos do Tesouro Nacional.

Na solenidade de transferência de cargo, no Rio de Janeiro, Levy disse que o foco da nova gestão será o fortalecimento de médias empresas.

De acordo com Levy, as médias empresas têm potencial de alavancar a economia do país, inclusive reaquecendo o mercado de trabalho.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Carregar os comentários (0)

comentários

fechar comentários
Nenhum comentário feito até o momento

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto